RJ: Secundaristas marcham em repúdio ao assassinato de Gabriel durante operação da PM

A- A A+

Fotos: Reprodução / MEPR

No dia 12 de agosto ocorreu um combativo protesto de estudantes secundaristas do Colégio Estadual Herbert de Souza, localizado no Rio Comprido, Zona Norte do Rio de Janeiro, por conta do assassinato do estudante Gabriel Pereira Alves, de 18 anos. Gabriel foi assassinado na Tijuca, próximo ao Morro do Borel, durante uma operação da Polícia Militar (PM), enquanto esperava o ônibus que o levaria para o colégio, às 7h do dia 09/08. No mesmo dia de seu assassinato, moradores, amigos e familiares já haviam realizado um outro protesto combativo, que fechou por horas as ruas da Tijuca.

Leia também: Polícia assassina jovens e povo se rebela na Região Metropolitana do Rio

No dia 12, durante a manhã, os estudantes, professores e familiares de Gabriel realizaram uma homenagem dentro do colégio onde ele estudava. Durante a tarde, os estudantes saíram em protesto pelas principais vias da Tijuca exigindo Justiça para Gabriel!. O monopólio da imprensa aponta que Gabriel foi vítima de "bala perdida", mas a juventude acusou a PM pela morte, além de denunciar todo o genocídio que ela comete contra o povo pobre. O ato contou com amplo apoio de comerciantes, moradores e trabalhadores que passavam pela região.

A Guarda Municipal tentou, inutilmente, liberar meia via da pista, lançando spray de pimenta contra a multidão. Uma estudante ficou desmaiada por falta de ar, mas, mesmo assim, o combativo protesto não dispersou e seguiu em uma radicalizada manifestação até o Morro do Borel, onde o jovem morava. Nas paredes por onde o ato passava podia-se ver pichadas palavras de ordem como Gabriel vive!.

Essa foi uma contundente resposta da juventude contra a PM assassina de Witzel, governador do estado.

Gabriel, presente na luta!

Chega de chacina, polícia assassina!

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Victor Costa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza