Gaúchos vão às ruas no Dia Nacional em Defesa da Educação e da Previdência

A- A A+

No dia 13 de Agosto, cerca de 30 mil manifestantes foram às ruas da capital gaúcha, Porto Alegre, durante o Dia Nacional em Defesa da Educação e da Previdência. O Comitê de Apoio ao AND participou do ato, onde vendeu edições atuais e antigas, assim como propagou a linha democrática e revolucionária do jornal.

Embora marcado para as 16h a concentração em frente ao Piratini, já havia movimentação no local por volta das 14h. Em frente à praça da Matriz, houve uma aula pública até as 17h, ministrada pela professora aposentada Liane Maria. Ela denunciou que as políticas antipovo, tais como o programa “Future-se” e a “reforma" da Previdência, do governo de Bolsonaro e dos generais eram uma “ofensiva do neoliberalismo mundial aos nossos direitos”. 

Chegando às 17 horas, o povo porto-alegrense se direcionou à Esquina Democrática. Lá, houve uma espécie de segunda concentração, onde mais e mais pessoas foram se reunindo. Nesse momento, o Comitê fez uma exitosa venda dos jornais da presente edição. Muitos compraram e os que não possuíam dinheiro no momento perguntavam se tinha em bancas. Muitos que nos viam iam até nós para conhecer o jornal. A linha editorial foi bem recebida entre os presentes. 

Em especial, dois estudantes de Biblioteconomia, Eduardo e Gabriela, relataram como a reitoria da UFRGS parece estar agindo de maneira indiferente frente ao projeto “Future-se”. Por outro lado, na universidade há um sentimento de solidariedade entre os alunos. Os dois estudantes também relataram que há esse sentimento entre outras federais, tais como o IFRS, UFPEL, UFSM, entre outras. Quando perguntados a melhor saída, Eduardo respondeu com um “fim do governo”, e Gabriela, por sua vez, falou “fora Bolsonaro, fora Guedes, fora Mourão, fora todos eles”. 

Próximo das 19 horas, o ato se direcionou e terminou na UFRGS, em frente a FACED. Geralmente, os atos não se finalizam nesse local, porém, os estudantes falaram que era para reafirmar seu compromisso com a UFRGS e o ensino público.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza