México: Manifestantes enforcam boneco Trump em frente ao consulado do USA

A- A A+


Ativistas da Corrente do Povo - Sol Vermelho exigem o aparecimento de Ernesto Sernas com vida. Foto: Corrente do Povo - Sol Vermelho

Ativistas das Brigadas Juvenis do Povo enforcaram, no dia 8 de julho, um boneco de papelão do presidente do USA, Donald Trump, em frente ao consulado ianque na Cidade do México, como forma de repúdio à sua política de imigração. Os manifestantes denunciaram ainda o intervencionismo do USA em vários países do mundo e a subordinação do "novo governo" do velho Estado mexicano aos interesses imperialistas.

O ato fez parte da campanha nacional por justiça e direito dos povos, e como continuação da programação, os revolucionários tomaram as instalações da Secretaria de Governo do Estado do México, importante órgão governamental que trata de assuntos como a politica interna do velho Estado e coordena ações de “proteção civil” e "segurança nacional". 

Lá foram rememorados, pelo Centro Cultural de Estudos da Ciência para a Revolução Proletária, vários revolucionários mortos, torturados e presos na luta pela Revolução de Nova Democracia. “Eles serviram ao povo de todo o coração, atingiram os mais altos degraus do misticismo e da moral comunista, dedicaram suas vidas e forças à luta pela libertação do proletariado e do povo trabalhador; eles são como nós e devemos aspirar a sermos como eles”, enfatizou o Centro Cultural. 

Terceira fase da campanha por justiça e direito dos povos

Naquele mesmo dia iniciou-se uma mobilização nacional por justiça na Cidade do México, no intuito de denunciar e  exigir justiça aos crimes do velho Estado contra lutadores populares e em defesa dos direitos dos povos. A campanha nacional ocorre dando ênfase ao caso de Dr. Sernas, advogado do povo mexicano sequestrado e desaparecido pelo velho Estado mexicano em setembro de 2018; e Luís Armando, dirigente revolucionário assassinado por forças paramilitares, em abril de 2019.

Além da importante denúncia contra o arquirreacionário Trump, no dia 9 de julho foi feito um ato político-cultural pelo grupo Amanhecer dos Povos e o Coletivo de Propaganda Popular, onde foram lembrados e comemorados os lutadores populares Sernas, Luís Armando e Florencio Medrano Mederos (El Guero), dirigente do Partido do Proletário Unido da América, que lutou por colocar o maoísmo como guia da luta do proletariado e dos povos mexicanos. "Nós somos a continuação do trabalho do camarada Medrano, e as montanhas do sudeste e do centro do país são nosso abrigo", pontuou o Centro Cultural.

No dia seguinte, foram feitas marchas até a Secretaria da Saúde, junto dos trabalhadores da saúde, seguido pelo fechamento da secretaria nas entradas e saídas, onde se demonstrou a solidariedade internacionalista aos revolucionários indianos. O evento ressaltou também a necessidade de constituir a Frente Popular como uma organização democrático-revolucionária que reunirá todas as lutas e resistências dos movimentos operário, estudantil, camponês e popular mexicanos sob uma linha de classe.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja