Liga Operária lança boletim conclamando a Greve Geral de Resistência Nacional

A- A A+

Reproduzimos na íntegra o boletim lançado pela Liga Operária e enviado à Redação de AND em 19 de agosto. O texto original pode ser lido na página da Liga.


Para aprovar a “reforma da previdência” esse governo antioperário, obscurantista, latifundista, e vende-pátria do capitão reformado Jair Bolsonaro – PSL, tutelado pelo Alto Comando das Forças Armadas – ACFA e lambe-botas do imperialismo ianque, joga pesado na política do “toma lá dá cá”. Bolsonaro teve que injetar só em julho R$2,55 bilhões de reais em emendas de acordo com a ONG Contas Abertas. Com isso a proposta de “reforma da previdência” passou pela câmara dos deputados e agora tramita no senado.

Essa canalha quer que o povo pague o custo da crise desse sistema de exploração e opressão, busca substituir o atual sistema político por um regime corporativo, como único meio de salva-lo do colapso. Tentam conterem a crise de forma momentânea e com isso frear os levantes das massas, que estão cada vez mais radicalizados, como pudemos ver nos levantes de 2013/2014, a recente greve dos caminhoneiros de 2018 e os ensaios da greve geral de maio a julho de 2019. Em meio a essa crise, o imperialismo muda a ordem, promovendo através do establishment (ordem ideológica, econômica e política da classe dominante) a substituição de governos ditos populares, por governos extremistas com caráter fascista. Para isso, necessita resolver a crise interna, entre a direita hegemônica do ACFA representado por Mourão, que colocou em curso o seu golpe militar de forma institucionalizada, para frear as massas, mas antes precisa desgastar o governo e as instituições e a extrema-direita que tem como figura de proa o reacionário Bolsonaro, que busca dar o golpe de forma direta sublevando as tropas e disputando apoio à ele.

Canalhas se unem para roubar o povo

O reacionário governo de generais mostra o seu caráter:

– Já em seu primeiro dia de governo, mostrou de que lado está, defendendo de unhas e dentes os patrões, cortando no salário mínimo dos trabalhadores, reduzindo de R$1.006,00, para R$998,00 (ou seja, em uma tacada meteu a mão em quase R$7 bilhões de reais). Com medidas provisórias, tem atacado as organizações dos trabalhadores, proibindo que os trabalhadores contribuam aos seus sindicatos. Vem modificando e revogando as NR’s, alegando serem muito oneroso às empresas, aliviando a patronal e colocando em risco a integridade física e a proteção da vida dos trabalhadores, mostrando ser antioperário.

– Com os constantes ataques e cortes ao ensino público e gratuito, sucateando e precarizando, busca favorecer os grandes grupos de ensino privado, cumprindo a cartilha do FMI/Banco Mundial, que só veem a educação como mercadoria. Além disso, fala quer implantar a “Escola sem Partido“ com a Base Nacional Comum Curricular – BNCC e para se manter e controlar as escolas e universidades, coloca pessoas para vigiar, perseguir e criminalizar professores e estudantes. Com tal atitude, coloca o povo a cegas, formando apenas “meros apertadores de parafusos” na produção e reprodutores de conhecimentos limitados, para favorecer os filhos dos grandes burgueses, latifundiários e banqueiros, que nos exploram para darem condições deles estudarem nas melhores instituições de ensino e perpetuarem-se no domínio, neste caso é obscurantista.

Baixe aqui o boletim da Liga Operária

– Declarou guerra aos camponeses, indígenas e quilombolas, liberando o armamento aos latifundiários e abrandando a “lei”, para protegê-los caso assassinem “invasores de terras”. Já no seu primeiro dia de governo, passou a demarcação das terras pras mãos da “musa do veneno” a ministra da agricultura Tereza Cristina: “colocando a raposa para cuidar do galinheiro”, favorecendo em tudo o agronegócio, com isenções e incentivos, deixando transparecer o seu caráter Latifundista.

– Com sua política de submissão, legaliza a extração de minério e de biodiversidades, entrega a floresta amazônica aos monopólios estrangeiros, propõe as privatizações dos Correios, Petrobras, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Portos e Aeroportos. Batendo continência à bandeira ianque, promete entregar a base de Alcântara – MA e com isso, permitir manobras militares do exército norte-americanos na América Latina. Mostrando o seu caráter vende-pátria.

Por isso, temos que preparar uma Greve Geral de Resistência Nacional, convocada e dirigida por lideranças construídas no fogo da luta do nosso povo, que não venda os nossos direitos em troca de migalhas, ou conduza o povo para o abatedouro da farsa eleitoral. Para conseguirmos, temos de nos organizar em todos os locais de trabalho e de moradia, no campo e na cidade.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja