Índia: EGPL incendeia máquinas de empresa exploradora

A- A A+

Há quase uma semana, no dia 31 de agosto, unidades do Exército Guerrilheiro Popular de Libertação (EGPL), dirigido pelo Partido Comunista da Índia PCI (Maoista), incendiaram máquinas da empresa Allied infrastructure & Project, no distrito de Bokaro, estado de Jharkhand. Entre as máquinas destruídas estavam uma escavadeira Poclain, um gerador e uma máquina de mistura, segundo relatou o periódico The Pionner.

De acordo com fontes policiais, cerca de 30 guerrilheiros fortemente armados entraram durante à noite no canteiro de obras da empresa, que fica próximo à estação ferroviária de Dania e do rio Bokaro, e nos limites da delegacia de Jageshwar Bihar e Lalpania. Eles pediram para que os operários da construção se retirassem do local e, em seguida, incendiaram as três máquinas que estavam sendo utilizadas na construção de uma ponte ferroviária. Logo após, os combatentes do EGPL regressaram para a floresta.

O objetivo político destas ações contra empreiteiras foi impedir que as estradas e outras obras de infraestrutura sejam concluídas para garantir que os camponeses e povos tribais dessas regiões mantenham posse da terra. Isto porque estas são obras de interesses das grandes mineradoras que visam se instalar nas regiões ainda isoladas da Índia, e, uma vez instaladas, expulsam os camponeses pobres e povos tribais para se apoderar do solo e do território.

Cartazes do PCI (Maoista) denunciam assassinatos

No estado de Telangana, cartazes assinados pelo PCI (Maoista) apareceram, no mesmo dia 31/08, em todo o distrito de Bhadradi Kothaguden. Eles denunciavam os assassinatos sumários promovidos pelas forças repressivas, entre eles o assassinato do camarada Jady Veeraswami, responsável pelo Comitê da Área do Partido em Manuguru. Os cartazes ainda alertaram que os líderes hinduístas dos partidos BJP (Partido do Povo Indiano, em português) e TRS (Telangana Rashtra Samiti) serão severamente punidos por seus crimes contra as massas indianas.

Combatentes maoistas do EGPL. Foto ilustrativa

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira