Amazônia Legal: extrema-direita pede ocupação militar permanente

A- A A+

Elementos da extrema-direita defenderam, nos últimos dias, uma maior e mais ampla ocupação militar da Amazônia. Dentre eles está o guru bolsonarista, Olavo de Carvalho.

“Na Amazônia ninguém sabe o que se passa”, e prossegue, sugerindo: “A única solução é o que o Bolsonaro diz: mandar o Exército para lá. O resto não adianta”. “Aquilo tem que ser ocupado militarmente”, dispara.

A fala do ideólogo fascista ocorreu durante uma homenagem promovida a ele pela Embaixada brasileira, no dia 29 de agosto.

Já o militar reformado e deputado federal pelo Rio de Janeiro, o bolsonarista Joziel Ferreira (PSL), clamando por uma intervenção militar, afirmou: “Que o Exército ocupe todos os espaços da Amazônia para que se expulse do Brasil todas as ONGs internacionais que levam nossa riqueza e nos deixam a lama”. No resto da fala, ele disse ainda que “o Exército tem que assumir, junto com as Forças Armadas, o protagonismo nessa nação”.

O discurso foi pronunciado durante uma intervenção do deputado no Congresso Nacional.

Leia também: Extrema-direita que organizou ‘Dia do fogo’ ameaça jornalista de morte

As declarações confirmam a análise presente na edição 226 de AND, segundo a qual os incêndios da Amazônia, provocados por latifundiários, têm ligação direta com grupos bolsonaristas e de extrema-direita, cujo objetivo mais grave era justificar e impulsionar a militarização da Amazônia. A região é onde concentram-se as lutas por terra e os movimentos camponeses combativos.

Sob justificativa de “combate ao fogo”, o governo decretou “Garantia da Lei e da Ordem” (GLO) na Amazônia Legal, válida até 24 de setembro deste ano. Hoje, estão ocupando a região 4,5 mil militares, empregando 250 viaturas e 11 aeronaves.

Foto: Reprodução/Ministério da Defesa

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza