SP: Comunidade do Escadão, em Carapicuíba, protesta contra reintegração de posse

A- A A+

Marginal do Ribeirão interditada por uma barricada. Foto: Reprodução/Redes sociais

Desde que foram notificados sobre um pedido de reintegração de posse feito pela Companhia Metropolitana de Habitação de São Paulo (Cohab), os moradores da comunidade do Escadão, em Carapicuíba, na grande São Paulo, se colocaram em luta a fim de continuar no terreno que ocupam. A reintegração está marcada para o dia 12 de setembro, porém os moradores da ocupação Cohab-5 estão realizando manifestações combativas quase que diariamente, desde o dia 30 de agosto, quando foram notificados do despejo.

Nos dias 5 e 6 de setembro foram registrados diversos protestos da comunidade, em que os moradores realizaram barricadas de pneus incendiados. A repressão, por meio da Polícia Militar (PM) de São Paulo, da Guarda Civil Metropolitana (GCM) e da Ronda Ostensiva Com Apoio de Motocicletas (Rocam), atuou violentamente, reprimindo os manifestantes indignados.

Foto: Reprodução/Redes sociais

No dia 6, os manifestantes interditaram, durante a tarde, a marginal do Ribeirão com pneus em chamas, e um ônibus também foi incendiado. Mais cedo, na parte da manhã, agentes da PM e da GCM promoveram um cerco em volta da comunidade. Os moradores do Escadão, que estavam em reunião no momento, declararam que os policiais chegaram e utilizaram até mesmo drones, formando um cordão humano para que ninguém deixasse a ocupação.

Uma representante da ocupação, em entrevista, declarou que a prefeitura de Carapicuíba não fez contato com a comunidade desde a notificação da reintegração.

Já no dia anterior, eles haviam fechado a avenida Antônio Faustino dos Santos, uma das principais vias da região, e outras ruas de acesso com barricadas de pneus e artefatos incendiados. Os moradores, em resposta à repressão, atiraram tijolos contra carros e agentes da GCM, segundo nota da prefeitura de Carapicuíba. 

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza