Entidades sindicais conclamam grande mobilização em setembro pela Greve Geral

A- A A+

7 de setembro de 2019. Foto: Liga Operária

No último dia 7 de setembro, a cidade de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, amanheceu tomada por milhares de cartazes conclamando a Greve Geral. Segundo informações enviadas à Redação de AND por sindicatos classistas de BH, tais cartazes foram confeccionados pela 4ª Plenária Sindical, que foi realizada no dia 28 do último mês de agosto na sede do Sindicato dos Empregados em Empresas de Processamento de Dados, Serviços de Informática e Similares do Estado de Minas Gerais (Sindados-MG).

Os cartazes puderam ser vistos em toda a região central de Belo Horizonte, principalmente na avenida Afonso Pena, na praça Sete, na praça da Estação e no trajeto do desfile oficial de 7 de setembro e do "Grito dos Excluídos", tradicional manifestação que ocorre anualmente nesta data. Além dos cartazes, uma grande panfletagem foi realizada durante o "Grito", que contou com a participação de professores, operários, funcionários públicos, estudantes, mulheres, movimentos de luta por moradia e atingidos por barragens, que denunciaram, entre outros, o crime da Vale em Brumadinho.

7 de setembro de 2019. Foto: Liga Operária

Um membro da Liga Operária, uma das organizações que integram a Plenária, esteve presente na manifestação e declarou: “Fizemos questão de distribuir no Grito dos Excluídos, por ser o nosso público alvo, já que conclamamos os trabalhadores e desempregados, mas também realizamos a distribuição durante o percurso da passeata realizada do Viaduto Santa Tereza até a Praça Raul Soares, atingindo pessoas de diversas categorias. O nosso material tem esse objetivo e principalmente conclamar o povo para a Greve Geral. E pelo visto o material surtiu efeito, já que muitas pessoas pegaram para distribuírem nos bairros".

As pautas levantadas pela 4º Plenária sindical foram:

"1) Conclamamos os milhões de desempregados à luta!
2) Contra o fim da aposentadoria e o assalto à Previdência! 
3) Não às retiradas de direitos trabalhistas!
4) Contra as entregas das Estatais!
5) Contra os ataques às Universidades e Escolas públicas!
6) Contra a Emenda 95 (conhecida como “Teto dos Gastos”), mais saúde e educação!
7) Contra o desemprego e a matança no campo e na cidade!
8) Bolsonaro, latifundiários e imperialistas: tirem as patas da Amazônia!

7 de setembro de 2019. Foto: Liga Operária

Já no boletim emitido pela 4º Plenária Sindical, que também divulgou as oito palavras de ordem, os trabalhadores afirmaram:

"A crise que vive o país dificulta e muito a situação do nosso povo, com a carestia de vida, que se agrava ainda mais para quem está desempregado. Os governos de turnos usam o desemprego para chantagearem ainda mais os trabalhadores, cortam direitos duramente conquistados e com o monopólio de imprensa, os patrões e governos fazem a propaganda da situação de modo a aterrorizar os trabalhadores e coloca-los reféns da crise e submetidos a mais brutal exploração, como ficou claro na citação de Bolsonaro 'o trabalhador deve escolher entre direito e emprego'. Por isso temos que unificar trabalhadores e desempregados na luta. Exigimos respeito! Emprego digno! Salários dignos! Condições de trabalho mais digna!"

Assinaram o boletim os seguintes sindicatos e organizações: Sintect-MG, Stic-BH (o Marreta), Sind-UTE (Vespasiano), Movimento Classista dos Trabalhadores em Educação (Moclate), Sintibor-MG, Sindofe-BH, Sindicato dos Oficiais Eletricistas de BH, Sinticom - São João del-Rei, Sinticom - Betim, SEC - BH, SEC - Contagem, APSIPISEMG, Caminhoneiros da ROTA 262 e 381, Executiva Nacional dos Estudantes de Pedagogia (ExNEPe), Liga Operária, Luta pelo Socialismo (LPS), Liga dos Camponeses Pobres (LCP), Frente Nacional de Lutas e Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR).

7 de setembro de 2019. Foto: Liga Operária

7 de setembro de 2019. Foto: Liga Operária

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza