Chile: Manifestações antifascistas marcam os 46 anos do golpe militar

A- A A+

Foto: Stringer/Reuters

Há 46 anos, em 11 de setembro de 1973, as forças armadas reacionárias do Chile, financiadas pelo USA, avançaram sobre o Palácio La Moneda, sede do governo, para derrubar o então presidente Salvador Allende, num golpe de Estado que deu início aos quase 17 anos do regime militar fascista de Augusto Pinochet. Desde então, a data é marcada por inúmeras manifestações populares contra o fascismo instaurado na época e em memória das dezenas de milhares de pessoas que verteram seu sangue na luta pela liberdade de seu país. Neste ano de 2019, na semana do 11 de setembro, não foi diferente.

Ainda no dia 08/09, manifestantes entraram em confronto com a polícia durante uma marcha em memória das vítimas de Pinochet realizada na capital Santiago. Quando o ato se aproximou do Cemitério Geral de Santiago, jovens ergueram barricadas e atacaram os policiais com coquetéis molotov. Estima-se que mais de dez mil pessoas participaram da manifestação.

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Dois dias depois, 10/09, um grupo de mulheres percorreu o centro da capital fazendo paradas em locais utilizados como centros de tortura. Vestidas de preto, elas exibiram cartazes que lembraram o golpe de 1973.

"Decidimos fazer uma procissão por seis lugares que foram centros de tortura, sequestro e violência política sexual na ditadura e que atualmente estão absolutamente invisíveis", disse Beatriz Bataszew, uma das organizadoras da atividade.

Ainda neste 11 de setembro outras manifestações e atividades estão ocorrendo em muitas partes do Chile, muitas delas com o lema "Pela verdade e pela justiça".

Foto: Martin Bernetti/AFP

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza