Repressão teme ofensiva do Exército Popular na Índia

A- A A+

Fileiras do Exército Guerrilheiro Popular de Libertação (EGPL). Foto ilustrativa

As forças repressivas reacionárias indianas estão se preparando para enfrentar o que, segundo elas, será uma grande ofensiva tática do Exército Guerrilheiro Popular de Libertação (EGPL), dirigido pelo Partido Comunista da Índia (Maoista), que vai acontecer durante os meses de novembro de 2019 e abril de 2020.

De acordo com um alto funcionário do Ministério de Assuntos Internos (MAI) da União, que solicitou anonimato, “durante esse período, os maoistas lançam sua campanha tática contra-ofensiva, na qual realizam o máximo de ataques. Nos meses anteriores, eles costumam recrutar mais pessoas, treinadas nos meses entre junho e setembro”.

Segundo o velho Estado indiano, relatórios recebidos pelo dito Ministério, através do seu serviço de inteligência, dão conta que mais de 250 novos combatentes foram recrutados pelo EGPL, somente na região do “Corredor Vermelho”, entre os estados de Chhattisgarh e Jharkhand.

“O governo tomou medidas para aprimorar o compartilhamento de informações e melhorar a coordenação entre as agências envolvidas. O MAI também está apoiando extensivamente os governos estaduais por meio do envio de forças paramilitares, fornecimento de helicópteros e parte de batalhões regulares e especiais da Força Policial da Reserva Central (FPRC)”, disse outro funcionário do MAI, também sob condição de anonimato.

O chamado "Corredor Vermelho", área sob controle ou influência dos maoistas. Imagem: A Nova Democracia

O objetivo dos revolucionários de expandir e treinar seus militantes na região do “Corredor Vermelho” vem preocupando as “autoridades” e os serviços de inteligência indianos. 

Segundo os mesmos, as atividades revolucionárias na região são lideradas pelo camarada Basavaraj, dirigente maoista e comandante do EGPL temido pelos reacionários, como pode-se perceber na fala de um funcionário da agência de segurança com sede em Chhattisgarh, que também solicitou anonimato: “Basavaraj é conhecido por ser belicoso e, portanto, expandiu os quadros armados, tanto que houve alguns ataques específicos este ano, como os ocorridos contra o político do Partido do Povo Indiano, Bhima Mandavi, e o ataque em Gadchiroli, que foram todos planejados por ele. Seu treinamento geralmente ocorre em Abhujmaad, em Chhattisgarh, porque esse é o centro nervoso”, afirma.

No ano de 2019, o EGPL tem atacado duramente membros das forças repressivas e políticos reacionários do velho Estado burguês-latifundiário, principalmente durante a farsa eleitoral, massivamente boicotada e denunciada, sendo que o boicote é dirigido pelo PCI (Maoista).

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja