PA: Rodoviários sem salário paralisam atividades em Marabá

A- A A+

Cerca de 300 rodoviários com três meses de salários atrasados paralisaram suas atividades no dia 9 de setembro em Marabá, estado do Pará. Os trabalhadores protestam ainda contra o atraso de sete meses no vale-alimentação, além da precarização das condições de trabalho.

Durante assembleia realizada no dia anterior, os rodoviários decidiram paralisar suas atividades entre 5h e 9h da manhã do dia 9. Após isso, eles retornariam ao trabalho, porém, em resposta, os empresários, entre outras coisas, retiraram bebedouros de água destinados aos trabalhadores. 100% da frota ficou paralisada no dia 9. Os trabalhadores decidiram então manter a paralisação no dia 10/09.

Foto: Reprodução

Uma das lideranças do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do Sul e Sudeste do Pará (Sintrarsul), Oséias Brandão, denunciou que, já na manhã do dia 10, um oficial de justiça foi até a sede do sindicato comunicar que os trabalhadores não estavam trabalhando por uma suposta proibição do Sintrarsul, quando, na verdade, estavam cumprindo o que foi decidido em assembleia. “Eu gostaria de deixar bem claro que isso não é verdade, isso não procede. Na realidade, é que foi definido em assembleia que esse movimento seria feito até às 9h, e assim foi feito e deliberado”.

Em comunicado, os empresários condenaram a greve e não informaram quando os pagamentos serão realizados, como afirma o advogado das empresas Robert Silva. “As empresas lamentam o transtorno do transporte coletivo e informam que buscaram a tutela jurisdicional a fim de obter uma liminar para que o transporte seja normalizado em todos os horários, porque não existe na lei de greve essa temporalização que o sindicato está pregando”.

Essa foi mais uma greve da categoria apenas esse ano contra falta de salários, sendo que em 2018 ocorreram outras três. Em junho de 2019, já havia sido realizada uma greve e, na ocasião, os trabalhadores protestaram também por melhores condições de trabalho, conforme relatou umas das lideranças sindicais, Geraldo Dean. “Precisa chamar a atenção porque não se deve resolver apenas a questão financeira dos trabalhadores, mas também a melhoria do transporte público para os usuários”. Os empresários prometeram em 2019, em mais uma conciliação, destinar 50% da renda diária para pagamento de salários, contudo até hoje o acordo não foi cumprido.

Neste 11 de setembro, a greve dos rodoviários de Marabá chegou ao fim.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja