Paraguai: Ossos são encontrados na casa do general Stroessner, facínora elogiado por Bolsonaro

A- A A+

O assassino general Stroessner comandou a repressão por mais de 30 anos no Paraguai. Foto: Reprodução

Na primeira semana de setembro, as imprensas brasileira e paraguaia noticiaram que foram encontradas ossadas numa casa que pertenceu ao general Alfredo Stroessner, que presidiu a repressão no regime militar fascista paraguaio de 1954 a 1989. A residência, localizada em Ciudad del Este, é conhecida como Casa do Terror.

As informações veiculadas apontam que as ossadas foram encontradas por sem-teto que ocupavam a casa e cavaram para procurar bens enterrados, uma prática comum no Paraguai. Segundo Rogelio Goiburú, membro da Comissão da Verdade, os sem-teto estavam em busca de supostos tesouros da família Stroessner que estariam escondidos.

De acordo com nota publicada pela BBC, os ossos foram encontradas debaixo de azulejos de um banheiro e pertenceriam a quatro pessoas.

Stroessner, Elogiado por bolsonaro

A figura macabra do general fascista Alfredo Stroessner é lembrada pelo povo paraguaio pela feroz repressão, pelas torturas, assassinatos, desaparecimentos e até mesmo envolvimento em casos de pedofilia e estupro.

Nascido em 1912, Stroessner tornou-se o general mais novo da América do Sul em 1948, chegando, em 1954, ao posto de comandante do Exército reacionário, mesmo ano em que liderou um golpe de Estado que derrubou o governo de Federico Chaves. Em seguida, foi "reeleito" em pleitos marcados pela fraude por sete mandatos consecutivos (1958, 1963, 1968, 1973, 1978, 1983 e 1988).

Seu regime fascista durou até 1989. Durante todos estes anos, segundo a Comissão da Verdade, 459 pessoas foram mortas ou desapareceram por motivos políticos, 18.722 foram torturadas e 19.862 foram presas. Após sua saída, se exilou no Brasil e morreu em 2006 na cidade de Brasília. 

Foi a esta figura repugnante que, no fim de fevereiro de 2019, em visita oficial à fronteira entre Brasil e Paraguai, o presidente fascista Jair Bolsonaro fez elogios. Na ocasião, Bolsonaro disse que a construção da usina hidrelétrica de Itaipu só foi possível "porque do outro lado havia um homem com visão". E arrematou: "Então, aqui está minha homenagem ao nosso general Alfredo Stroessner".

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza