Estudantes da UERJ fazem ato em apoio aos terceirizados

A- A A+

Foto: MEPR

No último dia 12 de setembro ocorreu uma importante manifestação no interior da UERJ, campus Maracanã, em torno da consigna Todo apoio aos terceirizados! O ato mobilizou o movimento estudantil independente e combativo na denúncia de situações que vêm ocorrendo como consequência da implementação desenfreada da terceirização no interior da universidade. Essas situação vão desde uma trabalhadora terceirizada que, ao ser mandada embora, ainda foi humilhada pela administração, até mesmo a proibição de trabalhadores da limpeza circularem pelos elevadores novos recém instalados, numa clara medida de segregação social e racial - visto que a maior parte destes trabalhadores são negros.

Foto: MEPR

Os estudantes se reuniram por cerca de uma hora no hall de acesso aos elevadores (conhecido como Hall do Queijo) e, através de faixas, panfletos e falas, puderam explicar a situação destes trabalhadores para muitos estudantes que sequer estavam cientes. Parte deste silêncio imposto sobre as condições de trabalho se deve ao fato desses trabalhadores não terem direitos básicos assegurados, como direito à organização e à greve. Outra parte é a atuação da REItoria (a mesma que em 2017 disse que via com bons olhos a implementação de OS!), que mantém um silêncio conivente frente a tais denúncias recorrentes.

E justamente no mesmo momento em que o governo federal ataca a autonomia e democracia de diversas instituições de ensino básico e superior, com a defesa do programa "Future-se" - que significa justamente escancarar as universidades para atuação aberta de OS e empresas privadas da educação -, que vemos a intensificação da opressão e humilhação dos trabalhadores terceirizados da UERJ.

Foto: MEPR

O ato foi uma vitória e uma injeção de ânimo no conjunto dos estudantes. A UERJ será ainda palco de novas e maiores mobilizações em defesa dos direitos de trabalho digno, de educação pública e gratuita e que sirva de fato aos interesses do povo.

Terceirizado é meu amigo! Mexeu com ele, mexeu comigo!
Rebelar-se é justo!

Panfleto do MEPR distribuído durante o ato 

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira