Makarenko e seu exemplo educacional imperecível

A- A A+

Reproduzimos o texto do periódico chileno El Pueblo sobre o pedagogo soviético Anton Semiónovitch Makarenko.



Makarenko e seus alunos. O pedagogo estimulava os jovens a trabalhar coletivamente

102 anos após a Revolução Russa, lições vividas e necessárias

                                                                                                         Educação, Jornal El Pueblo n ° 85 (outubro de 2019).

A educação sempre foi uma grande preocupação para seus diferentes atores. Sem necessariamente estar sujeito a alguma ideologia política, estamos testemunhando que a sociedade está dividida em classes com interesses diferentes entre si.

Hoje e desde o surgimento de diferentes classes sociais, a educação não está fora da política, mas tem sido usada como um instrumento para as ideologias dominantes perpetuarem seu poder e, assim, manterem o sistema de exploração em que estão inseridas. Sociedade construída. Diante disso e na busca por transformar o cenário atual da cidade, muita importância é colocada nesse aspecto da cultura.

Mas, é possível fazer as mudanças que a sociedade exige apenas da educação ou sempre apresentá-la como a principal coisa a ser transformada? Mariátegui, um grande comunista peruano, declarou com precisão: "Não é possível democratizar o ensino de um país sem democratizar sua economia e, portanto, não democratizar sua superestrutura política" . Exemplos que confirmam isso são as experiências socialistas da Rússia e da China. Porque sim, para transformar a educação, as pessoas precisam e devem conquistar o poder.


Makarenko

A primeira revolução socialista triunfante nos deixou grandes lições a esse respeito. Anton Makarenko, comunista e pedagogo russo, fazia parte da vanguarda responsável por enfrentar a tarefa do Estado proletário, que não era apenas a reorganização da economia e política do país, mas também a formação de futuros homens e mulheres que defenderiam os direitos alcançado pelo socialismo. Assim, a tarefa do educador era fornecer a esse novo contingente valores e princípios que garantissem a construção e a preservação dessa nova sociedade.

A pedagogia de Makarenko foi baseada na prática e na experiência. Essa foi a única coisa que o ajudou a resolver os problemas reais no bairro de Gorki. Era um tipo de orfanato em que chegavam os órfãos da guerra civil que caíam facilmente na delinquência juvenil para sobreviver e se acostumavam a fazer as coisas facilmente.

Para solucionar os problemas vivenciados, essa nova pedagogia baseou-se em 2 pontos principais: a) criação de consciência coletiva e b) trabalho produtivo auto-sustentado. Assim, os eixos articulados foram a oportunidade de praticar os princípios democráticos da doutrina marxista, que ligam a teoria educacional à prática social e ao ensino através do trabalho coletivo.

Se pensarmos em estudantes populares, podemos ver certas semelhanças no perfil do aluno. Hoje, o individualismo e a violência entre eles não permitem a instalação de uma nova proposta pedagógica. Diante disso, o educador, para ser ouvido, deve primeiro ordenar o ambiente, para que a disciplina permita criar condições para instalar princípios coletivistas. E outro aspecto é a tarefa persuasiva do educador, que através de situações exemplificativas deve procurar penetrar na consciência dos alunos.

Recomendamos a leitura do poema pedagógico de Makarenko, um grande romance que reflete 15 anos de trabalho, abrindo caminho no mundo então inexplorado da educação socialista.


O livro 'Poema Pedagógico' pode ser adquirido na loja do Jornal A Nova Democracia pelo link:  https://loja.anovademocracia.com.br/poema-pedagogico-de-makarenko/

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza