Visagens e assombrações: Cortejo Visagento resiste com o folclore brasileiro em Belém

A- A A+

Foto: Espaço Cultural Nossa Biblioteca

Na noite do último 31 de outubro, dia nacional do Saci Pererê, foi realizado, em Belém, capital do Pará, o 2º Cortejo Visagento, que teve início no Cemitério de Santa Izabel, no bairro do Guamá. O evento deste ano homenageou o escritor Walcyr Monteiro, autor de Visagens e Assombrações de Belém.

O cortejo, que foi organizado pelo Espaço Cultural Nossa Biblioteca, junto com a escola pública Barão do Igarapé Miri, passou pela avenida José Bonifácio, rua Silva Castro, travessa Liberato de Castro, passagem Sururina, travessas Barão de Igarapé Miri e Barão de Mamoré. Segundo os organizadores, o Cortejo foi "uma prática da Cultura Popular que visa resgatar e valorizar o folclore, o imaginário da Amazônia presente em Belém e no bairro do Guamá em séculos passados".

Um membro do Comitê de Apoio ao jornal A Nova Democracia em Belém nos enviou o seguinte relato das atividades:

"Recebemos o convite e participamos do evento Cortejo Visagento no bairro proletário Guamá, o maior e mais populoso bairro de Belém. O evento é uma resposta ao dia das bruxas, pois é baseado nas lendas do povo.

A concentração foi no cemitério Santa Isabel, no Guamá. Estava a 'Matinta Perera', a 'Cobra Grande' e outros personagens das lendas amazônicas. Foi um ato de resistência cultural que partiu do cemitério até a escola do bairro. A 'Morte' fez muito sucesso, pois estava com um cartaz do Sr. Jair Messias com a palavra PROCURADO. Havia também uma criatura vestida de preto com chifres e a faixa presidencial muito procurada.

Participaram muitos jovens adolescentes (estes manipulavam a 'Cobra Grande'), trabalhadores, estudantes, professores e pessoas das massas profundas. Também marcaram presença intelectuais, artistas e escritores, com os quais fizemos contato."

Foto: Fabrício Rocha

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza