Chile: Terceira semana de protestos inicia com grande combatividade


Agente de repressão da polícia é atingida por coquetel molotov. Foto: Claudio Reyes

A terceira semana de protestos no Chile iniciou com grandes enfrentamentos entre manifestantes e as forças da repressão, no dia 4 de novembro, plena segunda-feira. Dezenas de milhares de manifestantes se reuniram na cidade de Santiago sobre a palavra de ordem: Isto não acabou!

Na capital, cedo da manhã, a concentração para a manifestação acontecia em frente aos tribunais, e os taxistas também protestavam contra a cobrança de pedágios dentro da cidade. Mais tarde, na praça Itália, a manifestação multitudinária começou de fato.

Os enfrentamentos começaram quando os trabalhadores e jovens em marcha tentaram chegar ao Palácio Presidencial de La Moneda. Os manifestantes resistiram heroicamente aos canhões de água e bombas de gás lançados pela polícia chilena.


Manifestantes resistem ao canhão d'água das forças de repressão. Foto: Reprodução

Também foi noticiado pelo monopólio de imprensa AFP que a tropa de choque dos carabineros havia sido atingida por bombas caseiras produzidas com gasolina em determinado momento do protesto. Em Viña del Mar, há 120 quilômetros de Santiago, também houve enfrentamentos entre manifestantes e a polícia.

Os manifestantes exigem a saída de Sebastián Piñera, atual presidente do Chile, que tem comandado a repressão brutal aos protestos, assim como de todo seu executivo. O número de manifestantes mortos durante todo o mês de outubro ultrapassou 20, em um contexto em que o Executivo ordenou que o Exército reprimir nas ruas. Eles também rechaçam a atual constituição chilena, baseada ainda no período ditatorial de Pinochet.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin