RJ: Investigação confirma que foi a PM que matou a menina Ágatha Félix

A- A A+

Imagem: Reprodução

A investigação oficial da Polícia Civil confirmou que a bala que matou a menina Ágatha Félix no Complexo do Alemão, no dia 20 de setembro, partiu da arma de um policial militar. A confirmação desmente a versão dos militares de que teriam trocado tiros com dois homens em uma moto. A Polícia Civil afirmou ainda que não houve confronto e que os dois homens na moto não portavam nenhuma arma.

Assista o vídeo: Manifestações repudiam o assassinato da menina Ágatha Félix pela PM de Witzel

Em entrevista concedida ao monopólio de imprensa, o delegado da Delegacia de Homicídios da capital e responsável pelas investigações, Marcus Drucker, disse: “O que nós apuramos é que a motocicleta passou naquele momento em uma certa velocidade e não atirou contra o policial e nem contra ninguém”. E continuou: “O que nós apuramos foi que na hora em que a moto passou, o policial que estava ali alega que ele [homem da moto] estava armado. Mas nós provamos que não estava”. “Nós provamos que não estavam armados”, completou o delegado.

Segundo o delegado titular da Delegacia de Homicídios da capital, Daniel Rosa, o policial militar responsável pelo tiro vai responder por homicídio doloso, porém a prisão não foi requerida pelos investigadores. Seu nome também não foi divulgado.

Guerra contra o povo

Segundo temos analisado em AND, as razões dessa guerra civil reacionária levada a cabo contra as massas e que tem matado diariamente o povo é, dentre outras: 1) resultado do nível crescente de miséria e desemprego no estado, problema cuja única solução que o velho Estado e seus governos podem oferecer é mais repressão e assassinatos, uma vez que a economia nacional assenta-se em um capitalismo burocrático só passível de ser transformado via revolução. E, 2) a reação planeja concentrar as regiões hoje controladas por grupos delinquentes e do tráfico varejista de drogas (antigamente apoiados pelos sucessivos governos) em grupos paramilitares, conhecidos vulgarmente como “milícias”.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja