RJ: Operação da PM deixa dois mortos e obriga o fechamento de clínicas de saúde e escolas na Maré

A- A A+

Foto ilustrativa

No dia 25 de novembro, a Policia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ) realizou operações simultâneas em diversos locais da capital e da Baixada Fluminense. Em uma delas, no complexo da Maré, zona norte da capital, duas pessoas foram mortas e três presas. A operação durou das 6h até às 17h.

Os dois homens baleados foram levados para o Hospital Federal de Bonsucesso, também na zona norte, mas não resistiram aos ferimentos e vieram a óbito. Um dos mortos, segundo o hospital, é Dennis Britto, parente do Cantor Naldo Benny. Os rapazes foram baleados nas localidades Vila do João e Baixa do Sapateiro, ambas na Maré.

Durante a operação, segundo a Secretária de Saúde, cinco unidades da Clínica da Família foram fechadas por conta do tiroteio. São elas: Clínica da Família Adib Jatene, Clínica da Família Diniz Batista, Clínica da Jeremias Moraes, Centro Municipal de Saúde Vila do João e Centro Municipal de Saúde Augusto Boal.

Já a Secretária Municipal de Educação informou que 25 escolas da região tiveram seus horários afetados também por conta dos tiros. Participaram da operação o Comando de Operações Especiais da Polícia Militar, Batalhão de Ações com Cães (BAC), Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), Batalhão de Polícia de Choque (BPChq) e o Grupamento Aeromóvel (GAM).

Operações simultâneas continuam

No dia 26 de novembro, a PM de Witzel continuou pelo segundo dia consecutivo com operações simultâneas em favelas. Somente nesta data houveram relatos de policiais no Morro dos Macacos, em Vila Isabel; na comunidade da Primavera, em Cavalcanti; na favela da Mundial, em Honório Gurgel; e na favela Furquim Mendes, em Vigário Geral. Todas elas são localizadas na zona norte.

Leia também: RJ: Operações simultâneas da PM de Witzel fazem prosseguir a guerra contra o povo

Na zona oeste, os policiais fizeram uma operação na Vila Aliança. Na Baixada Fluminense operações foram realizadas no morro da Caixa D' água, em Queimados, e em São Leopoldo, no município de Belford Roxo.

ISP divulga dados que revela que 2019 é o ano que a polícia mais matou no Estado do Rio de Janeiro

Segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), 2019 foi o ano em que a polícia mais matou, desde que começou a contagem em 1998.

Foram 1.546 morte até outubro. Os dados sequer contabilizaram os números de novembro e dezembro, e os assassinatos já são maiores do que todo o ano de 2018, que tinha sido o maior até agora com 1534 mortes.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja