França: Greve geral contra a "reforma da Previdência" atinge uma semana com manifestações

A- A A+


Massas se rebelam durante protesto contra a reforma da Previdência na França. Foto: AFP

A greve geral de tempo indefinido contra a reforma da Previdência atingiu uma semana de protestos massivos por toda a França em 11 de dezembro. Esse dia foi marcado por grandes enfrentamentos entre manifestantes e a polícia.

Na ocasião, ocorreram confrontos em cidades como Bordeaux, Lyon, Nantes, entre outras. Também, à frente de diversas escolas de ensino médio, estudantes que se dirigiam às manifestações enfrentaram os agentes da repressão e, na cidade de Cavaillon, a juventude combatente ateou fogo à dois camburões, e policiais foram apedrejados.

Leia também: Povo francês faz grande greve geral contra a "reforma da Previdência"

No dia 10, 339 mil pessoas participaram das manifestações da greve, entre operários, funcionários do sistema de saúde, estudantes, bombeiros e manifestantes do movimento "Coletes Amarelos", refletindo o amplo nível de insatisfação com as políticas neoliberais de Emmanuel Macron, que aprofundam a exploração do povo francês. Trabalhadores grevistas bloquearam sete das oito refinarias de petróleo da França e o transporte público na capital permaneceu quase parado.

Além disso, já foram marcados mais protestos nos dias 12 e 17 de dezembro.

Governo de Macron cede devido aos protestos populares

Diante dos massivos protestos, o governo de Macron foi obrigado a fazer concessões, mudando a aplicação das medidas para os nascidos após 1975, e não 1963, como acordado anteriormente.

"Decidimos não mudar nada para aqueles que já contribuíram para sua aposentadoria há pelo menos 17 anos, o que significa para aqueles sob o regime geral de aposentadoria - aqueles nascidos antes de 1975 e que terão mais de 50 anos em 2025", acrescentou o primeiro-ministro da frança, Édouard Philippe sobre o novo plano da reforma previdenciária, na tentativa de apaziguar a revolta do povo.

Os protestos de dezembro de 2019 são os maiores desde que Macron chegou ao poder em 2017, prometendo cortar gastos públicos e tornar a economia “mais competitiva”.

Juventude revolucionária se faz presente nas manifestações

A organização Jeunnes Révolutionnaires (Jovens Revolucionários), da França, tem feito uma grande campanha de agitação e propaganda pela greve geral de tempo indeterminado contra a reforma da previdência, assim como esteve presentes em blocos vermelhos e combativos, dando um caráter revolucionário às manifestações.


Bloco dos Jovens Revolucionários em uma manifestação da Greve Geral no dia 10


Jovens Revolucionários fazem propaganda e agitação com o jornal popular Cause du Peuple


Panfleto distribuído pela Jeunnes Révolutionnaires

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Mário Lúcio de Paula
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira