Chile: Polícia militar usa soda cáustica em caminhões-pipa para queimar manifestantes

A- A A+

Manifestantes chilenos enfrentam caminhão-pipa de Carabineros. Fonte: Periódico El Pueblo / [email protected]_ahl

Um relatório divulgado no dia 15 de dezembro confirma que os Carabineros (Polícia Militar chilena) misturam spray de pimenta e soda cáustica à água que abastece os caminhões-pipa usados para atacar as manifestações populares. Nas últimas semanas, registrou-se um aumento do número de relatos de manifestantes queimados após terem sido atingidos por estes caminhões hidrantes, conhecidos popularmente como “guanacos”.

Nesse dia 15, na sede da Federação Estudantil da Universidade do Chile (FeCh), houve uma coletiva de imprensa convocada pelo Movimento Saúde na Resistência, uma organização que apresentou um relatório sobre os componentes químicos da água lançada pela polícia contra o povo.

"A única forma de diluir as moléculas do composto químico capsicina (contidas no spray de pimenta presente na água lançada pelos carabineiros) é através de um meio alcalino, como a soda cáustica”. Com estas palavras, a química Francisca Leiva, responsável pelo relatório, revelou a razão dos vários casos de queimaduras denunciados pelos manifestantes.

Leiva acrescentou que a soda cáustica gera efeitos físicos e provoca erosões na pele. Isto contradiz a resposta cínica de Carabineiros que insinuaram supostos "problemas médicos anteriores" dos manifestantes que denunciaram queimaduras.

O caso de queimadura por água de caminhão-pipa de Carabineros que o Movimento Saúde em Resistência mostrou foi o de Gonzalo, um jovem morador de Lo Hermida, que denunciou graves feridas e erosões em seu pescoço e costas produto da repressão policial.

Jovem é queimado com a soda cáustica e spray de pimenta presentes na “água” do caminhão-pipa dos Carabineros. Fonte: Esquerda Diário/Chile

O jovem de Lo Hermida afirmou que foi atacado pelos Carabineros e molhado pelo carro lançador de água, caminhão-pipa, quando tentava remover bombas de gás lacrimogêneo de sua casa que haviam sido lançadas pela polícia.

Esta denúncia se soma às de muitos outros manifestantes sobre a brutal repressão dos Carabineros, como casos de tortura, estupro e assassinatos.

Toda esta barbárie contra o povo promovida pela polícia e demais aparatos de repressão do velho Estado chileno tem gerado cada vez mais indignação e comoção no meio das massas que persistem há mais de 2 meses nas combativas manifestações contra os pacotaços e ataques do governo Sebastián Piñera.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira