Turquia: Dono de editora de livros revolucionários é sentenciado à prisão

A- A A+

Em 26 de dezembro, o proprietário da editora Umut foi condenado a dois anos e um mês de prisão por publicar, em 2018, uma coletânea de escritos do revolucionário comunista Ibrahim Kaypakkaya. O operador das máquinas de impressão também foi condenado a dez meses apenas por imprimir o livro.

Após a publicação dos escritos de Kaypakkaya, em 2018, o velho Estado turco invadiu o escritório da Umut, apreendendo e confiscando exemplares do livro, bem como edições da revista Partizan. A única “evidência” de “atividade criminosa” foram os próprios escritos de Kaypakkaya.

Embora tenha havido várias audiências, a decisão final teve lugar no dia dia 26 de dezembro de 2019. A acusação do proprietário da Umut foi por “fazer propaganda para o Partido Comunista da Turquia/Marxista-Leninista (TKP/ML)”.

Como dito pelo portal revolucionário estadunidense, Incendiary News, “forjado na luta de classes na Turquia e seguindo os desenvolvimentos da Grande Revolução Cultural Proletária na China, Kaypakkaya fundou a TKP/ML em 24 de abril de 1972. Este foi um marco para o proletariado turco, uma ruptura dos 50 anos anteriores do parlamentarismo, reformismo e pacifismo do Partido Comunista da Turquia (TKP)”.

“No início de 1973, Kaypakkaya foi capturado pelas forças reacionárias turcas e torturado durante meses, mas nunca deu informações sobre os seus camaradas ao Estado. Em 18 de maio, o Estado turco o assassinou e mutilou seu corpo como uma forma de enviar uma mensagem a outros revolucionários”, explica o Portal. 

“Até hoje, o TKP/ML e seu Exército Vermelho de Operários e Camponeses (Tikko) continuam a travar uma Guerra Popular pela Revolução de Nova Democracia. Como resultado, o Estado turco designou o TKP/ML como uma organização 'terrorista' a fim de justificar e realizar uma repressão violenta contra revolucionários e ativistas democráticos”, conclui o jornal.

Uma manifestante segura uma foto de Ibrahim Kaypakkaya em frente à polícia turca. Foto: Reprodução.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza