PR: Camponeses denunciam despejos solicitados pelo governador Ratinho

A- A A+

O governo do Paraná, encabeçado pelo reacionário Ratinho Júnior/PSD, solicitou o despejo de mais de 200 famílias acampadas há 20 anos na cidade de Cascavel, oeste do estado, a expulsão estava programada para o dia 15 de dezembro. Ao todo vivem nos acampamentos cerca de 800 camponeses, entre estes 250 são crianças e 80 idosos. As áreas ameaçadas de despejo são Resistência Camponesa, Dorcelina Folador e 1º de Agosto.

No dia 28 de dezembro, os camponeses iniciaram um protesto próximo a rodovia BR 277 no km 557. A ação visa a suspensão imediata da decisão. 

Nove despejos foram autorizados pelo velho Estado entre maio a dezembro de 2019. Aproximadamente 500 famílias tiveram suas casas e produções destruídas de modo completamente truculento, afirmam os camponeses. Cerca de 7 mil famílias vivem em acampamentos e 80 famílias em ocupações no estado do Paraná. 

Conluio com o latifúndio

Os acampamentos estão localizados no complexo Cajati, antigo latifúndio comprado pelo  Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em 2009, da empresa Imapar-Cajati Reflorestamentos e Agricultura Ltda. pertencente a família Festugatto. Ao todo a empresa ocupava aproximadamente 60 mil hectares de terra na região. O Incra disponibilizaria uma área de cerca de 890 hectares de terra, que seria destinado somente à 106 famílias, menos da metade do número de famílias que reivindicavam a área. No processo de aquisição o proprietário recebeu cerca de R$ 10 milhões. Porém, atualmente o mesmo velho Estado é quem protagoniza a ordem de despejo aos camponeses.

Governador latifundiário

O governador do estado do Paraná, Ratinho Júnior, é um latifundiário proprietário de Agropastoril Café no Bule e de centenas de hectares no Paraná e São Paulo. Ele, durante sua gerência, vem impulsionando o latifúndio na roupagem de agronegócio como afirmou em diversas ocasiões: “O agronegócio paranaense é um setor prioritário para o nosso governo”. Além disso, também alegou que o agronegócio paranaense tem dobrado de tamanho a cada dez anos.’

“Nossa vocação é ser o celeiro do mundo, e nós vamos assumir essa bandeira, nós somos a fazenda do planeta, essa é a nossa vocação e é isso que nós vamos assumir”, disse ele, em reunião no dia 6 de dezembro de 2018, num encontro com latifundiários em Curitiba.

Em Cascavel, camponeses denunciam ordem de despejo a mando do velho Estado. Foto: Banco de dados AND

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira