RJ: Operação da polícia resulta em três mortos e dois feridos no Complexo do Chapadão

A- A A+

Mais uma operação das forças de repressão do velho Estado nesta manhã de terça feira (10), no Complexo do Chapadão na Zona Norte do Rio, resultou em três mortos e dois feridos.

A ação em parceria com 31° DP (Ricardo de Albuquerque), teve início nas primeiras horas da manhã, com objetivo de cumprir supostos mandados de prisão contra envolvidos no tráfico de drogas e armas, além de roubos a veículos e caminhões.

Cinco feridos na comunidade de Costa Barros foram encaminhados ao Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, onde três não resistiram e vieram a óbito.

Operação no Complexo do Chapadão resulta em 3 mortos e 2 feridos.

Foto: G1

Mais uma vítima da guerra urbana 

Uma menina de oito anos chamada Anna Carolina de Souza Neves, morreu após ser atingida por uma bala perdida no Bairro Parque Esperança, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, na noite anterior (09). De acordo com informações, o corpo de Anna Carolina estava no Instituto Médico Legal de Duque de Caxias, na manhã desta sexta.

Pelas redes sociais, uma mulher lamentou a morte da criança, “Ainda não estou acreditando, minha Carolzinha foi morar no céu, que Deus conforte o coração de todos os familiares, quando uma mãe chora, todas choram”.

Anna Carolina de Souza Neves, 8 anos, atingida por bala perdida em Belford Roxo

Foto: Destaque baixada

Extermínio da população pobre

Estatísticas apresentadas em outubro de 2019 pelo Núcleo de Estudos da Violência da USP (Universidade de São Paulo), mostram que 2.886 pessoas foram mortas pelas forças de repressão no 1° semestre de 2019 no Brasil, um aumento de 4,3% em relação ao mesmo período de 2018. 

Hoje, o código penal elimina a punição de mortes cometidas por agentes de repressão do velho Estado em casos de estrito cumprimento do dever legal, legítima “defesa” ou estado de “necessidade”. No início do mês de outubro, o reacionário Jair Bolsonaro afirmou que é um absurdo a condenação de militares por “excesso”. Segundo ele, autos de resistência são um “sinal” de que o militar trabalha e cumpre a sua parte.

Em junho de 2019, durante uma visita a Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, o governador do estado Wilson Witzel, afirmou: “Se estivesse em outros lugares do mundo, nós tínhamos autorização para mandar um míssil naquele local e explodir aquelas pessoas”.  Na ocasião, estava se referindo a Cidade de Deus que foi um dos principais alvos de ataques da polícia, registrando 16 mortes em um total de 18 vítimas.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anov[email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza