AM: Três indígenas são assassinados em Coari

A- A A+

No dia 6 de janeiro, foram assassinados três indígenas do povo Miranha da Terra Indígena (TI) Cajuhiri Atravessado, município de Coari na Região do médio Solimões, localizado a 363km de Manaus. Joab Marins da Cruz foi assassinado em sua casa, na aldeia durante a noite de segunda feira. Marcos Marins da Cruz e Francisco Martins da Cruz foram mortos por volta das 06h do dia seguinte, após localização e perseguição aos autores dos disparos contra Joab.

O presidente da associação de comunidades indígenas de Coari (ACIC), Francisco Alves da silva afirmou que o conflito entre moradores da aldeia Cajuhiri atravessado acontece há muito tempo. Segundo ele, na aldeia vivem indígenas e não indígenas. Joab e seus familiares foram mortos supostamente por conflitos devido a extração de castanha na localidade.

Francisco alega que familiares dos indígenas mortos já tinham registrado ocorrência na delegacia de Coari e na fundação nacional do índio (Funai) alertando que uma tragédia poderia acontecer, nenhuma providência foi tomada. O presidente da ACIC diz ainda que podem acontecer outros conflitos de gravidades semelhantes.

Disputa por territórios e violência contra os indígenas

Pode-se afirmar que o indígena vem sendo cada vez mais postergado e violentado pela sociedade mesmo tendo seus direitos assegurados constitucionalmente. 

Sabe-se que o direito à terra conquistado com um forte embate pelos indígenas vem sendo violado. Mediante a tantos fatores que contribuem para esse impasse, pode-se destacar disputa por terras promovida pelo latifundiários que fomentam ainda uma visão estereotipada do indígena. Mineradores e latifundiários muitas vezes insatisfeitos com a demarcação de terra acabam entrando em conflito direto com os nativos, assim levando a um genocídio indígena.

Segundo Relatório Violência Contra os Povos Indígenas no Brasil – dados de 2018, sistematizado anualmente pelo Conselho Indigenista Missionário (Cimi), nos nove primeiros meses de 2019 ocorreram 160 casos de invasão em 153 terras indígenas, em 19 estados. Ainda em 2018 foram registrados 135 casos de assassinato. Em relação à “violência contra a pessoa”, foram registrados 110 casos em 2018, sendo eles: abuso de poder (11), ameaça de morte (8), ameaças várias (14), homicídio culposo (18), lesões corporais dolosas (5), racismo e discriminação étnico cultural (17) tentativa de assassinato (22) e violência sexual (15).

Protesto contra o genocídio sofrido pelos povos indígenas em 2018.

Foto: Mobilização Nacional Indígena

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira