Poema para os 10 anos do corte popular em Riachão

A- A A+

Reproduzimos a seguir um poema enviado pelo Comitê de apoio de Recife. O autor, Andrey Vitor, o compôs em comemoração aos 10 anos do corte popular em Riachão. Ele declara que a inspiração veio a partir de um diálogo de versos que houve na competição de toadas, repentes e aboios feita pelos camponeses no intervalo do bingo e das falas da mesa, atividades que aconteceram durante a comemoração. Além do poema, a ilustração - feita também pelo poeta - traz uma homenagem a Liga dos Camponeses Pobres.

Riachão é do povo

Como se planta batata, milho e feijão 

plantou-se essa  semente no chão 

de onde antes só existia exploração

nasceu um pezinho bonito 

com nome de ocupação

O pezinho se desenvolve

 como corte popular 

onde a terra os camponeses

 estão a plantar 

mesmo que os latifundiários 

queiram a terra roubar

a luta diz que a terra é de quem vive

 e nela vai trabalhar 

Nessa pisada se foi 10 anos 

a mudinha virou um baobá forte 

não tem diabo nem santo 

que possa lhe condenar a morte 

não tem estado nem capitão

capaz de lhe arrancar com a mão.

Mas tem um povo feliz 

dançando na sombra 

que o baobá faz no verão.

Pense num povo pra festejar 

80 famílias a dançar 

por cima de um piso 

feito sobre os escombros da casa grande 

onde antes eles tinham que se ajoelhar. 

É muita alegria prum só lugar 

José Ricardo se puder ver, tá feliz que só

vendo que seu povo entendeu

que não se anda só

e se juntou na luta com a liga

 pra construir um mundo melhor 

São dez anos de luta 

desse povo a batalhar 

10 anos da área José Ricardo 

e do corte popular 

Riachão já é do povo

e de lá ninguém sai

é batatinha pequena 

que ainda vai ramar mais 

Pode chamar padre

Papa, 

Presidente e Satanás. 

A terra é do povo, já fale!i 

de lá ninguém sai mais!

(Andrey Vitor)

Ilustração feita por Andrey Vitor em homenagem a LCP. 

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Victor Costa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza