SC: Moradores resistem a despejo no bairro Jardim das Oliveiras em Araquari

Centenas de moradores do bairro Jardim das Oliveiras, no município de Araquari, Santa Catarina, resistem ao despejo imposto a cerca de 200 famílias que vivem e lutam há mais de 10 anos na área. Os moradores estão organizando atos, vigílias e barricadas para defender a permanência no local.

A expulsão está prevista para dia 17 de janeiro e contará com forças de repressão. O bairro está localizado em uma área pertencente à Secretaria do Patrimônio da União (SPU) e abrange 193 mil metros quadrados, que representa 2% dos mais de 8 milhões de metros quadrados totais de terras federais na localidade.

Foi realizado no dia 14 de janeiro um ato em frente à prefeitura e à Câmara de Vereadores de Araquari que se iniciou na Associação de moradores do bairro e seguiu para uma visita à Advocacia-Geral da União (AGU) e Ministério Público Federal (MPF) em Joinville. No dia 16 acontecerá uma vigília noturna contra o despejo e no dia 17 um Ato de resistência com barricada popular solidária contra o despejo durante todo o dia.

Famílias realizam ato no município de Araquari contra a ameaça de despejo. Foto: Banco de dados AND

Promessas eleitorais e a verdadeira face do prefeito

A principal reivindicação dos moradores é a regularização dos terrenos. Porém, o governo municipal representado pelo gerente de turno Clenilton Carlos Pereira (PSDB), mesmo com a iminência de receber da união a doação do terreno possibilitando a regularização, se recusa a endossar essa alternativa favorecendo assim a especulação imobiliária, uma vez que a área se encontra em uma região central da cidade.

Os moradores afirmam que durante as eleições Clenilton frequentou a área, fez diversas promessas, promoveu churrascos e pediu votos. “Você falou para mim que a primeira coisa que ia fazer quando assumisse era regularizar para fazer rua, esgoto e luz. Disse que ia botar o seu advogado para fazer a escritura”, alegou um morador em ocasião de um ato realizado na prefeitura em 2017.

Além dos desmandos, os trabalhadores também denunciam o assédio da prefeitura e a pressão física e psicológica contra os que lutam por moradia. “Agentes do prefeito fazem áudios com chantagens emocionais para pressionar a população e a polícia pressiona muito, faz forte intimidação”, afirmou o morador Wanderlei ao portal Jornalistas Livres.

Manifestação realizada dia 14 em frente ao Defensoria Pública, em Joinville. Parte de agenda de lutas contra a expulsão. Foto: Laura Dacoreggio

O velho Estado

A Defensoria Pública da União (DPU) entrou com uma ação para regularização fundiária das terras em desuso pertencentes à extinta Rede Ferroviária Federal (RFSA), hoje assumidas pela SPU, mas o juiz da primeira instância da Justiça Federal de Joinville, Paulo Cristóvão de Araújo Silva e Filho além de negar o direito, determinou prazo de 30 dias para despejo dos moradores, a contar do dia 16 de dezembro de 2019.

Uma grandiosa manifestação foi realizada esse fim de semana na recém inaugurada ponte Hercílio Luz. Uma faixa com a frase Senhor juiz: você ganha R$ 4.700,00 de auxílio moradia. Não é justo nos despejar!, foi erguida.

Manifestação na ponte Hercílio Luz expõe contradição entre o direito à moradia e os privilégios do judiciário.  Foto: Jornalistas livres

 

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro