SP: Jovem desaparece após abordagem de militares

A- A A+

Um rapaz chamado Carlos Eduardo dos Santos Nascimento, de 20 anos, está desaparecido fazem 28 dias. Segundo familiares e amigos, o jovem estava em um bar, no dia 27 de dezembro de 2019, quando foi abordado e obrigado a entrar em uma viatura com três policiais militares e, a partir dali, nunca mais foi visto.

O bar que Carlos Eduardo estava fica no bairro Jardim São Camilo, na periferia de Jundiaí, cidade da Região Metropolitana de São Paulo. O rapaz estava com mais quatro amigos, porém só o jovem foi levado. Outro fato importante é que estes quatro amigos de Carlos já deixaram o bairro que moravam e a Corregedoria da Polícia Militar (PM) não conseguiu localizá-los. A própria Polícia Civil desconfia que eles estejam com medo de sofrer uma retaliação dos militares. “Está prevalecendo a lei do silêncio, porque dizem que os policiais podem retaliar. Isso tem dificultado muito o nosso trabalho”, afirmou o delegado responsável pelo caso.

Os militares registraram internamente a abordagem dos quatro rapazes, mas não há registros sobre a abordagem a Carlos Eduardo. Até agora os policiais envolvidos no caso foram somente “afastados”.

A principal suspeita da Polícia Civil e da Corregedoria da PM é que os três policiais do 49° Batalhão de PM sejam os responsáveis pelo desaparecimento. Segundo apontam as investigações, os policiais teriam desligado o GPS da viatura.

Outra questão é sobre o “sigilo” nas investigações. A família do jovem denuncia que a Polícia Civil tem se recusado a dar informações sobre o caso, e que eles não sabem o que os policiais estão fazendo para tentar encontrar o rapaz. “Quando a gente pergunta sobre a investigação, a resposta que temos é que tudo está em segredo de justiça. Não sabemos nada sobre o que estão fazendo para tentar achar meu filho”, diz o pai de Carlos, Eduardo Aparecido do Nascimento, de 50 anos.

E continua: “Não estão deixando nem a mãe ir nas buscas. Todas as buscas que a polícia faz, se recusam a deixar ir qualquer pessoa da família”, afirmou o pai.

A desembargadora Ivana David desconfia que a polícia esteja fazendo uma espécie de retaliação à família, por esta ter levado o caso à imprensa. “O que estão fazendo é se vingar da imprensa, para que a imprensa não tenha acesso a nada. Não é assim que funciona. O pai da vítima, que é o interessado no inquérito, tem que saber que está acontecendo, está desesperado com o filho desaparecido, tem que saber o que está acontecendo”, afirmou.

Para o Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (Condepe), ocorreu um “desaparecimento forçado” e uma grave violação de direitos.

Carlos Eduardo dos Santos Nascimento, desaparecido após ser abordado por PMs. Foto: Redes Sociais

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Mário Lúcio de Paula
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira