Resistência Camponesa: Áudio mostra atuação PM de Rondônia a serviço do latifúndio

A- A A+

Reproduzimos denuncia da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) de Rondônia e Amazônia Ocidental, veiculada no Jornal Resistência Camponesa, sobre policiais que servem de pistoleiros para latifundiários da região.


Pistoleiros e policiais militares de Ariquemes, Machadinho d’Oeste, e distrito do Quinto BEC, conformam um bando armado que prestam serviços de pistolagem a fazendeiros da região. O bando é comandado pelo PM Claudenir do Quinto BEC (dono de autoescola no mesmo distrito) e pelo PM Arruda do Grupamento de Operações Especiais (GOE). Além de atuarem como pistoleiros dentro das fazendas, os policiais fornecem ilegalmente armas e munições.

Esse bando armado foi contratado e financiado pelo latifundiário Tiago Lopes Moura, herdeiro das terras da fazenda Jatobá, localizado a cerca de 45 km de Machadinho do Oeste, que como a esmagadora maioria dos latifúndios da região são terras griladas da União.

Além de contratar aberta e impunemente os serviços de pistolagem de bando armado composto por policiais militares, o latifundiário conta com a cumplicidade, proteção e apoio dos órgãos do velho Estado através de juízes, delegados e polícia militar.

Não é nenhuma novidade em Rondônia que policiais atuam como pistoleiros, cometem toda sorte de crimes contra camponeses, incluindo torturas e assassinatos, e são sempre acobertados pela cúpula da área de segurança do Estado e seus aparatos que servem aos interesses do latifúndio.

Os áudios vazados apenas mostram um caso concreto das criminosas relações dos órgãos e agentes do velho Estado com a pistolagem do latifúndio. Longe de ser exceção, tais práticas são recorrentes, ocorrem impunemente e de forma generalizada no campo.

Charge de Carlos Latuff denunciando a atividade de pistoleiros no estado de Rondônia. Foto: Banco de Dados AND

No caso concreto desse latifúndio (fazenda Jatobá) há histórico de abusos e torturas contra os camponeses. Por exemplo no ano de 2015, 12 elementos com armas de fogo de grosso calibre e vestidos com roupas camufladas invadiram um acampamento de camponeses na fazenda, e após darem vários tiros para cima, renderam quem estava no local, ameaçaram, bateram, torturaram e roubaram os acampados. Um dos acampados teve a orelha queimada com um isqueiro para dar informações e outro apanhou de facão. Após cometerem tais crimes, os pistoleiros se dirigiram para a sede da fazenda. Posteriormente após denúncias dos camponeses, a própria polícia encontrou as armas, roupas e outros materiais usados na ação criminosa na sede da fazenda Jatobá. Tais fatos foram inclusive noticiados na época, porém os crimes do latifúndio e seu bando armado seguiu impune.

Atualmente ademais da atuação dos bandos armados, rumores na região dão conta que a força nacional de segurança está planejando uma operação em conjunto com os policiais que estão atuando na região para atacar acampamentos existentes na área.

Conclamamos a todos os verdadeiros democratas, intelectuais honestos, estudantes, professores, camponeses, trabalhadores da cidade, comerciantes, ao povo de Rondônia e de todo país, a repudiar e denunciar os crimes do latifúndio e seus bandos armados e a prestar solidariedade aos camponeses para barrar os graves ataques planejados contra a luta camponesa.

E especialmente as pessoas democráticas e honestas de Machadinho d’Oeste e região, pedimos que apoiem os camponeses em luta pela terra. Todos sabemos que os latifundiários ladrões de terra só trazem misérias, desgraças, exploração e nem sequer compram nos comércios das pequenas cidades. Somente com o crescimento das tomadas de terras pelos camponeses pode haver progresso e prosperidade para o povo, principalmente para os camponeses pobres, para os pequenos e médios comerciantes.

Fim dos crimes do latifúndio e seus bandos armados!

Conquistar a terra! Destruir o latifúndio!


LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Mário Lúcio de Paula
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira