MG: Professores das redes municipal e estadual se unem em Greve

A- A A+

Professores da rede municipal de Belo Horizonte vão entrar em greve a partir do dia 27 de fevereiro. A decisão foi tomada após uma assembleia realizada no dia 19/02. A greve ocorrerá porque os docentes exigem o reajuste salarial da categoria de acordo com o estabelecido no Piso Nacional da Educação. Os servidores agora se juntam aos servidores estaduais que estão em greve desde o dia 11 de fevereiro.

Segundo Vanessa Portugal, uma das diretoras do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Municipal de Belo Horizonte (SindRede/BH), o reajuste salarial pedido pelos professores é para que o valor chegue a R$2.886,24, que é o que determina o Piso Nacional da Educação.

“Queremos que nossos vencimentos sejam acrescidos de acordo com o Piso Nacional da Educação. Neste ano, o reajuste aprovado foi de 12,84%. O problema é que a prefeitura de Belo Horizonte trabalha com o raciocínio de pagar o piso proporcional à jornada de trabalho e isso nós não concordamos”, afirmou Vanessa, que também diz que atualmente na capital mineira o salário dos professores gira em torno de R$ 1.500.

Luta prolongada

A luta dos servidores da educação em Belo Horizonte vem desde o ano de 2019. Em novembro do mesmo ano os professores da educação infantil e fundamental fizeram uma paralisação de 17 dias contra um decreto que alteraria o plano de carreira do servidor público municipal.

Enquanto os professores travam dura luta para receber o salário de acordo com o piso nacional, o governador Romeu Zema/Partido Novo enviou para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais uma proposta de lei que prevê o aumento de 41,7% para os servidores da “segurança pública”.

Deputados da “oposição” eleitoreira criticaram a proposta do governador e acusaram o mesmo de dar tratamento diferenciado a categoria dos agentes.

“Muitos professores não receberam nenhum centavo do 13º salário de 2019 até hoje. O governador Romeu Zema já avisou que vai à Justiça questionar a constitucionalidade do piso salarial da categoria. O piso! Piso que não é pago para professores estaduais até hoje”, disse Beatriz Cerqueira, deputada federal que, de modo oportunista, tenta aparecer defensora dos professores. A parlamentar disse ainda que outras categorias tentaram negociar com o governador ao longo do ano e sequer foram recebidas.

Professores da rede de ensino de Belo Horizonte decidiram entrar em greve. Foto: SindRede/BH

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira