Japão: Economia à beira da crise preocupa o ‘mercado’

A- A A+

Gráficos mostram a diminuição na economia japonesa no quarto trimestre de 2019. Foto: Reuters Graphics

De acordo com dados governamentais divulgadas pelo monopólio de imprensa Reuters, no mês de fevereiro de 2020, a economia do Japão regrediu sua expansão ao ritmo mais rápido em quase seis anos no último trimestre de 2019, quando um aumento do imposto sobre vendas atingiu o poder de compra dos consumidores e, consequentemente, a venda e lucros das empresas, levando a um alarmante risco de recessão. A informação foi veiculada pelo monopólio de imprensa Reuters, tomada de dados do próprio governo.

O Produto Interno Bruto (PIB) do país encolheu, em comparação ao ano de 2018, 6,3% no período de outubro a dezembro de 2019, muito mais rápido do que uma previsão do mercado financeiro para uma queda de 3,7%. Este é o primeiro declínio em cinco trimestres na economia do país. Essa foi a maior queda desde o segundo trimestre de 2014, quando o consumo desmoronou após um aumento do imposto sobre as vendas em abril daquele ano.

As ações da bolsa de valores japonesa também deram sinais de recessão com a média de referência Nikkei abaixo de 0,7%. O Japão, atualmente, representa a 3ª maior economia do mundo pelo tamanho do PIB nominal, deixando o mercado mundial apreensivo com uma recessão no país.

O aumento dos impostos sobre as vendas em outubro do ano passado pesou sobre o consumo privado: as despesas de capital (CapEx) [1] caíram 3,7% no quarto trimestre, muito mais rápido do que uma previsão mediana para uma queda de 1,6%. É a primeira queda em três trimestres, mostraram os dados.

Além disso, muitos analistas duvidam que o governo e o Banco Central japoneses tenham meios eficazes para combater outra recessão: “Não há muito mais que o Banco do Japão possa fazer…”, disse Takeshi Minami, economista-chefe do Instituto de Pesquisa Norinchukin.

Entretanto, outros países da Ásia também mostram sinais de desaceleração econômica para 2020: Cingapura cortou suas projeções de crescimento econômico para 2020; a Tailândia registrou sua expansão mais lenta em cinco anos e os preços do mercado imobiliário da China cresceram em seu ritmo mais fraco em quase dois anos.

Perspectivas mostram maior aprofundamento da crise

Uma pesquisa da Reuters com oito analistas, realizada após a divulgação do PIB, previu a contração da economia japonesa em 0,3% no primeiro trimestre de 2020, embora a previsão esteja sujeita a mudanças dependendo dos dados de janeiro e fevereiro.

Um dos fatores que aprofunda a perspectiva de recessão no país é a expansão mundial do coronavírus, que forçou o fechamento de fábricas na China e levou a uma forte queda no número de turistas chineses ao Japão. Além disso, a ameaça da doença às Olimpíadas no país poderia causar um grande impacto na economia já frágil.

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira