GO: Famílias são ameaçadas de despejo a pedido de mineradoras em Catalão

A- A A+

A mineradora Mosaic/Vale Fertilizantes S/A teve acatado pelo judiciário o pedido de despejo de pelo menos cinco das 25 famílias da comunidade Macaúba, localizada no município de Catalão (GO), para aprofundar a extração de nióbio e fosfato. 

A ordem de despejo a pedido da mineradora contra a comunidade foi aprovada mesmo após esta cercar ilegalmente terras na região. A Mosaic/Vale Fertilizantes S/A, que coleciona irregularidades, em 11 de maio de 2019 interditou o seu funcionamento por falta de documentos que atestassem a segurança da barragem, depois do Ministério Público de Goiás pedir ao judiciário que as mineradoras de Catalão, no sudeste goiano, esvaziassem e desatistivassem as barragens de rejeitos, com urgência.

Os camponeses há tempos se mobilizam contra as ações das mineradoras na região. Em 2014, promoveram um acampamento próximo a BR-050 para alertar a população local sobre os danos trazidos pelas ações das mineradoras. Recentemente, em resposta ao cercamento ilegal das terras em catalão, os camponeses também desfizeram as cercas impostas pelo monopólio de mineração.

A exploração mineral em Catalão

Há mais de 30 anos a comunidade Macaúba e também outras comunidades da região, como Chapadão (Ouvidor), Taquara (Catalão), Coqueiros (Catalão), Morro Agudo (Catalão) e Mata Preta (Catalão) lutam contra as mineradoras que buscam expulsar os camponeses para explorar os minérios da região, exportados a preços irrisórios para enriquecer as indústrias das potências imperialistas.

O território ocupado pelas mineradoras a partir de 1970 pertencia às famílias camponesas que em grande parte foram forçadas a deixar suas terras pela expansão do latifúndio e das multinacionais da grande burguesia e do imperialismo. Além disso as atividades atingem diretamente as nascentes da região contaminando toda água consumida pela população.

A Vale Fertilizantes que hoje pede a expulsão dos camponeses de Catalão surgiu de um processo de privatização da Goiás Fertilizantes S.A. (Goiasfértil), uma empresa criada pelo governo estadual, com o objetivo de pesquisar, explorar e comercializar a rocha fosfática. Junto com a Mosaic/Vale Fertilizantes, o conglomerado China Molybdenum Company (CMOC International), antiga Anglo American, que atua em território nacional desde 2016 sob o nome de Copebrás Indústria Ltda, representam duas das maiores exploradoras de minério na região.

O Brasil possui 98% do nióbio do mundo. Segundo a pesquisadora Ana Paula da Silva de Oliveira Ferreira, a produção da Mineração Catalão é totalmente exportada para países como China, Estados Unidos (USA), Holanda, Japão, Índia, Inglaterra e Alemanha. 

O nióbio é uma matéria prima usada principalmente na produção de ligas metálicas de alta resistência. Os seus derivados são utilizados em carrocerias de automóveis, pontes, viadutos, baterias de carros elétricos, lentes para telescópios, motores de foguetes e aviões, aparelhos de ressonância magnética, entre outros. Já o fosfato é matéria-prima para produção de fertilizantes usados em larga escala pelo chamado “agronegócio”.

Mobilização promovida em 2014 para conscientizar moradores da região sobre ações nocivas das mineradoras. Foto: Banco de dados AND.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira