SP: Moradores protestam e são agredidos pela PM após exigirem socorro para homens baleados

A- A A+

Moradores fecharam duas vias em protesto contra uma ação de omissão de socorro praticada pela Polícia Militar (PM) em Osasco, na região metropolitana. Os manifestantes revoltados com a truculência e descaso por parte dos policiais fecharam a via Rodoanel e a avenida Benedito Alves Turíbio.

A causa do protesto foi o fato de a PM de São Paulo ter demorado 1h30 para prestar socorro a dois homens baleados por um policial de folga no dia 23 de fevereiro, no bairro Padroeira. Os dois homens morreram.

Policiais militares dispararam bombas de gás lacrimogêneo e tiros de bala de borracha para reprimir a multidão indignada com a omissão de socorro praticada pelos militares. Os policiais ainda agrediram as pessoas que filmaram o crime cometido pelos policiais. 

Na ação, que ocorreu na avenida Benedito Alves Turíbio, os dois homens identificados até o momento com Ruan e “NI” ficaram agonizando no chão a espera de socorro após serem baleados. Moradores da região, ao presenciarem a cena, se revoltaram e cobraram para que os PMs prestassem socorro aos jovens.

Outra grave denúncia feita por testemunhas é a de que os homens estariam com uma arma de brinquedo, o que desmente a versão da Polícia de “troca de tiros”.

“Não teve nenhuma troca de tiros, eles mentiram! O policial atirou neles, saiu do carro e deu mais tiro quando estava perto, coisa de um metro, no máximo dois”, revelou uma testemunha ao portal Ponte Jornalismo.

Para o advogado Ariel de Castro, conselheiro do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (Condepe).

“Os policiais podem responder por omissão de socorro e por esse crime previsto na lei de abuso de autoridade”, definiu Castro. “Ao invés de socorrer, aparentemente estavam pretendendo exibir uma suposta ‘ação bem sucedida’ ao público. E matar virou sinônimo de ‘ação bem sucedida’ na visão de muitos policiais”.

Policiais deixaram os dois homens agonizando no chão. Eram dezenas de viaturas e e nenhuma ambulância. Foto Arthur Stabile.

Adolescente exibe ferimentos causados por estilhaços das bombas disparadas pelos PMs. Foto: Arthur Stabile.


Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira