PA: Moradores de Belém erguem barricadas em protesto contra alagamentos

A- A A+

Protesto bloqueia Avenida Arthur Bernardes. Foto: Reprodução Tweeter

Após doze horas de um forte temporal, moradores de diversos bairros de Belém protestaram contra o alagamento e a falta de iluminação que atingiu a população no dia 7 de março.

No conjunto Promorar, localizado no bairro Val-de-Cans, moradores revoltados com a situação e o descaso, fecharam a movimentada Avenida Arthur Bernardes. A mobilização foi grande e todas as ruas do conjunto ficaram cheias, bloqueando a via de acesso ao aeroporto e paralisando o trânsito na região. 

No bairro do Benguí também várias casas foram tomadas pelo alagamento, moradores se uniram, foram às ruas e atearam fogo em pneus bloqueando em dois pontos a pista da estrada Yamada.

Também no bairro do Jurunas, na Av. Bernardo Sayao, moradores usaram entulhos e pedaços de madeiras para fechar parte da via.

A chuva, que veio com grande intensidade, deixou diversas partes da cidade alagadas. A queda de uma árvore na Avenida Governador José Malcher bloqueou a via. A Rua do Pariquis e a Avenida Conselheiro Furtado foram outros locais bastante afetados pelo temporal que paralisou o trânsito na região. Até mesmo a Fundação Centro de Hematologia e Hemoterapia do Estado do Pará (HEMOPA) teve suas atividades de coleta de sangue paralisadas após a forte chuva.

Moradores denunciaram que a incidência dos alagamentos aumentou depois da realização de obras de estreitamento nas ruas da capital paraense. O engenheiro civil, Emanoel Maciel, em entrevista ao monopólio de imprensa, declarou: “ acredito que houve obstrução parcial da galeria o que dificultou o escoamento da água do canal do conjunto, para cá, para bahia”

Esta tragédia poderia ter sido evitada se a Secretaria Municipal de Saneamento (SESAN) tivesse implementado um sistema de drenagem e uma bacia de detenção de água para localidade.

Moradores erguem grande barricada de pneus em chamas na Estrada Yamada. Foto:Fernando Igor/G1

POVO SOFRE COM DESCASO DE GOVERNO 

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra que no dia 09/03 houve um deslizamento lateral na estrutura do viaduto do Coqueiro, localizado na rodovia BR-316, região metropolitana de Belém. Parte do gramado que fica na elevação caiu afetando motoristas que passavam em Ananindeua.  Segundo informações, a manutenção do elevado que caiu, é de responsabilidade do governo do Pará sobre gestão de Helder Barbalho (PMDB).

Alunos também ficaram sem aulas devido aos alagamentos. Segundo a Secretaria de Estado de Educação (SEEDUC), 70% das escolas estaduais da grande Belém tiveram as atividades suspensas por conta da forte chuva. Cerca de 5 mil jovens estudantes foram prejudicados por conta da falta de uma política de prevenção por parte dos sucessivos gerenciamentos de turno que passaram pelo governo da cidade, incluindo o atual Helder Barbalho (PMDB).

Esta não é primeira vez que moradores sofrem com descaso da SESAN. Em fevereiro de 2020, denúncias já relatavam que motoristas que precisavam acessar a Avenida João Paulo II, no bairro do Curió-Utinga, estariam sendo obrigados a avançar através do canteiro da via para fazer o retorno, uma vez  que o alagamento impossibilitava a passagem dos carros pela avenida.

Na ocasião, moradores denunciaram que  o movimento continuado dos carros para fugir do alagamento havia resultado na destruição dos canteiros e exposição de fiações elétricas aumentando ainda mais o risco de acidentes para pedestres que precisavam atravessar a via para tentar fugir do alagamento.










NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza