RO: Estudantes iniciam jornada pelo transporte público em Porto Velho

A- A A+

Imagens: Mario Roberto Venere


Estudantes de Porto Velho, capital de Rondônia, realizaram um vigoroso protesto no centro da cidade, dia 6 de março.

O ato foi convocado pelo Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal de Rondônia (DCE/UNIR) e contou com a participação de dezenas de estudantes com faixas, cartazes e carro de som.

A manifestação se concentrou na Praça do Baú, região central, com agitação, palavras de ordem e a distribuição de cerca de 2 mil panfletos convocando a população para se somar às reivindicações, organizando-se em seus bairros e nas zonas mais afastadas da cidade.

Palavras de ordem sobre a questão do transporte foram entoadas como: “4,05 eu não pago não, se aumentar a passagem vai ter rebelião”, “ ô motorista bóra lutar, o seu salário o Sim tem que pagar” (em referência ao "Consórcio SIM", reponsável pela administração do transporte público da região), “a nossa luta unificou, é estudante junto com trabalhador”.

Gritos de protesto contra a privatização da educação pública também puderam ser ouvidos: “É greve, é greve de educação, nem sucateamento nem privatização”.

As intervenções no microfone fizeram ampla denúncia dos abusos cometidos pelo Consórcio SIM com a conivência declarada da Prefeitura e da secretaria de trânsito (o secretário é coronel da PM).

O protesto bloqueou o trânsito em vários momentos durante o trajeto percorrido pelos estudantes. Os trabalhadores, motoristas e cobradores manifestaram seu apoio buzinando para os estudantes durante praticamente toda a manifestação.

Aproveitando a posse do novo vice-reitor, os estudantes se dirigiram ao prédio da reitoria para denunciar também a posição privatista do empossado que insiste em apoiar o "Programa Future-se". Os estudantes fizeram uma grande agitação na sede da administração superior surpreendendo os bajuladores dos ocupantes do cargo superior da universidade. Após muita combatividade, o protesto foi encerrado na frente da Prefeitura com a agenda de nas próximas semanas aumentar a mobilização para a Greve Geral da educação no dia 18 de março.


HISTÓRICO DO TRANSPORTE PÚBLICO

Desde o ano passado o caos no transporte coletivo tem tirado o sossego dos trabalhadores, inclusive com diversas paralisações do serviço.

O Consórcio SIM que atualmente tem a concessão do serviço de transporte urbano não cumpre praticamente nada do contrato. Os ônibus esão completamente sucateados com inúmeras denúncias de veículos que ficam sem combustível ou que simplesmente param de funcionar no meio de um trajeto.

Essas reclamações são encaminhadas a Prefeitura de Hildon Chaves (PSDB) que geralmente finge que não tem nenhuma culpa no problema e empurra a questão pra Secretaria de Trânsito que, por sua vez, empurra para a responsabilidade para o Consórcio SIM. Esta mesma empresa sequer tem cumprido com suas obrigações trabalhistas e está há quase três meses sem pagar os salários de cobradores e motoristas. Por conta disso, esses trabalhadores iniciaram o ano de 2020 com greve para exigir seus direitos.

Para completar a indignação geral da população, nesta semana uma empresa de São Paulo venceu o processo licitatório para operação de transporte de passageiros no perímetro urbano com a tarifa de R$ 4,05. Atualmente a passagem custa 3,80 uma das mais caras do país.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza