PB: População impede criminosa retirada de leitos de hospital em meio a pandemia do Coronavírus

A- A A+

Foto: Reprodução/ Redes sociais

No dia 24 de março a população de Taperoá, ficou revoltada com a chegada de um caminhão no Hospital Geral do município que pretendia levar parte dos poucos leitos e equipamentos de respiração mecânica para hospitais da capital do estado, João Pessoa. Taperoá localiza-se há 484km da capital paraibana.

Alegando urgência no transporte destes materiais, os representantes do governo da Paraíba queriam levar os equipamentos sem que nem mesmo qualquer notificação oficial tenha sido feita ao município. Tamanho desrespeito com o povo do interior paraibano gerou imensa indignação de populares e políticos locais, que se colocaram à frente do caminhão, que já estava carregado com os materiais, impedindo a retirada aviltante de leitos e equipamentos hospitalares em plena pandemia do coronavírus.

O Hospital Geral de Taperoá atende a cerca de 13 municípios da região do Cariri e Médio Sertão da Paraíba, e é justamente a unidade para a qual as pessoas com suspeita de coronavírus têm a recorrer.

Ao invés de reforçar a estrutura e condições de atendimento dos hospitais do interior, bem como das cidades maiores do estado (como Campina Grande e João Pessoa), o governador João Azevedo está fazendo o contrário: retirando os aparelhos e equipamentos do Cariri paraibano (como fez também recentemente em Monteiro, outro município localizado na mesma região), “desvestindo um santo para vestir o outro”, sem chegar perto de resolver o problema da ampliação real de leitos e melhoria das condições de atendimento à saúde da população paraibana no curso da pandemia da Covid-19.

Cansados de serem pisoteados com a mais brutal exploração e falta de direitos mais básicos como à terra, água, educação e saúde, o povo de Taperoá demonstrou sua revolta e indignação contra mais uma medida do velho Estado que escancara, agora em meio à crise sanitária, seu descaso absoluto para com o povo pobre de nosso país.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira