MG: PM invade e coloca povo Xakriabá em risco de contaminação por coronavírus

A- A A+

Faixa na entrada da aldeia proíbe a entrada de não indígenas no território. Foto: Povo Xakriabá

A Polícia Militar (PM) adentrou o território indígena do povo Xakriabá, no Norte de Minas, no dia 4 de abril, e realizaram abordagens nos indígenas e invasão de domicílios. Segundo os policiais eles foram ao local “vistoriar” veículos.

Em nota, lideranças e caciques denunciaram a ação da PM dizendo que tal atitude colocou em risco toda saúde coletiva do povo Xakriabá, cerca de 12 mil pessoas.

“Esta ação da Polícia Militar nos deixa ainda mais vulneráveis e bastante preocupados, os povos indígenas se encontram entre os principais grupos de risco”, ressaltou a nota das lideranças. “Diante deste fato queremos informar que os casos de contaminação que por ventura surgirem a partir deste momento será também de responsabilidade do governo do estado de Minas Gerais” completou a nota.

“A PM invadiu, não respeitou e entrou e circulou na área inteira. Quando ficamos sabendo da ação, a polícia já realizava abordagens dentro da aldeia”, diz o cacique Santos, da aldeira Morro Vermelho. E continua “Dois guinchos e várias viaturas percorreram toda as aldeias, fazendo pressão e tendo contato direto com nosso povo. A entrada da PM causou terror nas aldeias. Não só pela ação que realizaram sem nenhum comunicado as lideranças da aldeia. Mas também pelo coronavírus, esse perigo que pode vir com os policiais que são de diversas cidades da região”.

“Se essa epidemia chegar aqui, o Estado precisa ser responsabilizado por essa ação porque estamos tomando todas as medidas e eles estão desrespeitando nossa organização contra o coronavírus”, sustentou o Cacique Santos.

O cacique Agenor Lopes da Conceição, da Aldeia Tenda Rancharia, se revoltou com a ação dos policiais. “Estamos cumprindo a quarentena e as recomendações dadas pelo Ministério da Saúde enquanto a própria polícia, um órgão do Estado, descumpre essas medidas”.

Tal ação contrariou a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) de distanciamento social e também a Portaria n° 419, do dia 17 de março, da Fundação Nacional do Índio (Funai), que suspendeu a entrada em terras indígenas por 30 dias. 

“O contato entre agentes da Funai, bem como a entrada de civis em terras indígenas, devem ser restritas ao essencial de modo a prevenir a expansão da pandemia”, ressalta o artigo 3 do boletim da Funai

Povo Xakriabá se organiza para combater coronavírus

Desde o começo da crise sanitária do Coronavírus o povo Xariabá tem se organizado para combater a pandemia. Após reunião das lideranças e Caciques, foi decidido a aplicação do distanciamento social, o cancelamento de atividades que geram aglomerações e mais importante a proibição de entrada no território de pessoas de fora das aldeias e não indígenas.

Os indígenas que estavam fora do território ao retornarem passaram por um período de isolamento de 14 dias, tudo para não deixar o vírus chegar até a comunidade. A entrada de policiais nas aldeias prejudicou as ações que já duravam um mês.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira