GO: Prefeito reacionário lança 3 mil servidores ao desemprego

A- A A+

No dia 14/04, o prefeito Íris Rezende publicou o decreto nº 896 suspendendo os contratos de trabalho de 3,1 mil servidores temporários de Goiânia, deixando esses trabalhadores sem salário já a partir de abril, colocando todos eles na miséria em meio à pandemia. O prefeito também cortou vários direitos dos servidores, segundo o texto enquanto durar a situação de emergência da pandemia de Covid-19.

A maioria dos contratos suspensos é de trabalhadores da educação, entre outras áreas, com exceção dos serviços públicos da saúde, infraestrutura e assistência social, de acordo com o decreto. Além de colocar na rua mais de 3 mil pessoas, segundo o jornal O Popular, o decreto cortou o salário de 27 mil servidores e proibiu novas concessões de: gratificações, auxílio transporte (com exceção da saúde), progressões de carreira e outros pagamentos como os “adicionais” por incentivo à profissionalização ou titulação.

O Sindicato Municipal dos Servidores da Educação de Goiânia (Simsed) denunciou o decreto como uma tragédia humanitária, em uma nota pública, destacando que a educação já vinha sofrendo com a precarização salarial e conclamando “todas e todos os profissionais da educação, efetivos ou não, a se solidarizarem e repudiarem mais essa atitude do prefeito Iris Rezende, somando-se a luta organizada pela manutenção desses contratos”. Veja a nota na íntegra

O decreto de Goiânia segue a mesma lógica, cruel e desumana, das outras medidas do velho Estado para o suposto combate ao coronavírus: com base na declaração de calamidade pública, dispensam qualquer resquício de exigência legal em defesa da própria vida e autorizam crimes contra o nosso povo. 

O prefeito de Goiânia, Íris Rezende, jogou 3,1 mil pessoas na miséria, no meio da pandemia. Foto: Banco de Dados AND

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza