AM: Presos fazem rebelião por melhores condições em presídio em Manaus

Detentos iniciaram rebelião no dia 02/05 por volta das 6h da manhã, em unidade prisional de Puraquequara, reivindicando melhores condições ainda mais urgentes diante do novo coronavírus e denunciando privações de água e comida. Os prisioneiros exigem ainda o fim dos problemas com energia elétrica, ventiladores, colchões e falta de medicamentos. A rebelião durou cerca de cinco horas e deixou 17 feridos. 

Há mais de um mês, a Pastoral Carcerária Nacional enviou à Defensoria Pública do estado (DPE) Amazonas e à Justiça do estado um documento que apontava 300 presos doentes e listava diversas denúncias de violações de direitos de presos da Unidade Prisional do Puraquequara. Na denúncia formalizada no final de março, a entidade detalhou a falta de cuidados médicos aos detentos e afirma que, só nesta unidade prisional, mais de 300 presos estariam doentes e complementa dizendo que os internos são “vítimas de uma enfermidade que apresenta os mesmos sintomas do contemporâneo coronavírus, a Covid 19”.

No documento, a Pastoral afirma que "há relatos de presos que não seriam levados para a enfermaria, presos que permaneceriam algemados no ambulatório, presos que estariam sofrendo desmaios e tremores, presos que não estariam recebendo remédios, presos que estariam recebendo remédios em desacordo com os sintomas apresentados, presos que seriam obrigados a tomar uma espécie xarope compulsoriamente, dentre outras denúncias".

No dia 5 de abril, representantes da DPE participaram de uma reunião virtual com a associação dos familiares dos presos da "para, novamente, checar as denúncias”. Uma das principais queixas, desta vez, estava relacionada ao racionamento de água. A Defensoria encaminhou pedido de providências à Secretaria de Estado de Administração Penitenciária, por meio do comitê estadual de monitoramento, e aguarda resposta até hoje.

No Amazonas há uma superlotação no sistema, que hoje abriga 5.742 presos, quando a capacidade é de 3.508. Só na unidade são 1.079 detentos.

 Presos se rebelam contra sistema prisional  precário em Manaus. Portal do Holanda  

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin