Quênia: Povo em rebelião contra despejo promovido pelo velho Estado

A- A A+

No dia 8 de maio, manifestantes saíram às ruas das periferias de Kariobangi e Korogocho, em Nairóbi, capital do Quênia, queimando carros e erguendo barricadas para protestar contra o terrorismo de Estado que expulsou 7 mil habitantes de suas moradias quatro dias antes. A polícia reacionária respondeu com mais repressão, que escalou o conflito a toda a cidade de Nairóbi.

Protestos em Nairóbi (Fonte: VOA News)

No dia 4 de maio, os moradores foram expulsos de suas casas porque o governo desejava “retomar suas terras” para a Companhia de Água e Esgoto. Os moradores, muitos que viviam na região por mais de dez anos, se depararam com a polícia e a Companhia de Água e Esgoto nas suas portas, com escavadeiras prontas para expulsar as famílias. Um tribunal havia decidido alguns dias antes em favor dos moradores para interromper as demolições, mas as "autoridades" não o respeitaram.

Demolições em Kariobangi do Norte, 4 de maio (Fonte: DOUGLAS OKIDDY)

Os moradores do Korogocho e de Kariobangi do Norte, que antes já viviam em favelas e em situações precárias, estavam agora desabrigados, no meio de uma pandemia, com 700 casos confirmados e 33 mortes no país. Contra essa opressão sistemática, os moradores se revoltaram contra o velho Estado e organizaram um grande protesto para o dia 08/05.

Os manifestantes se reuniram e fecharam a Outering Road, bloqueando o trânsito e enfrentando a repressão policial.

Com o avanço do protesto para a cidade inteira, barricadas foram formadas e a polícia intensificou seu ataque, atirando com balas de arma de fogo, que feriram ao menos um cidadão. A polícia também atirou em casas e estabelecimentos de pequenos comerciantes que receberam um curto período para abandonar o lugar.

Moradores deixam suas casas após demolição (DOUGLAS OKIDDY)

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza