Maoistas celebram a vida de Ibrahim Kaypakkaya na Europa

A- A A+

Celebrações foram feitas por revolucionários ao redor do mundo em homenagem ao dirigente comunista turco Ibrahim Kaypakkaya, fundador do Partido Comunista da Turquia/Marxista-Leninista (TKP/ML), assassinado há 47 anos atrás, no dia 18 de maio, pelas mãos do velho Estado turco.

Atos, eventos culturais, grafites e diversas outras formas de prestar homenagens foram realizadas por revolucionários de diversas organizações, incluindo do TKP/ML.

Kaypakkaya é o fundador do TKP/ML que, há 48 anos atrás, deu início a Guerra Popular na Turquia. Após ser entregue as forças reacionárias, foi brutalmente torturado por quase quatro meses, onde foi assassinado pelos fascistas turcos no dia 18 de maio de 1973, sem revelar informação alguma de seus camaradas e do Partido.

O Politiburo do Comitê Central do TKP/ML, assim como a publicação revolucionária Partizan, publicaram notas comemorando Ibrahim Kaypakkaya.

Abaixo, as celebrações nos diversos países da Europa e Turquia.

Turquia

Na Turquia, comunistas do TKP/ML colocaram faixas em lugares com segurança armada em Istambul, onde declararam que iriam comemorar seu chefe Kaypakkaya ao divulgar sua luta com agitações neste ano. Nos dizeres, lê-se Viva nosso partido TKP/ML, Nosso exército popular TIKKO e a TMLGB!, TIKKO sendo o Exército de Libertação de Camponeses e Trabalhadores da Turquia e TMLGB a ala da juventude do Partido, a União Marxista-Leninista da Turquia.

Grécia

No distrito de Exarchia, em Atenas, militantes do TKP/ML colocaram faixas com os dizeres Ibrahim Kaypakkaya é a proclamação da Revolução e do Comunismo.

No distrito de Exarchia, em Atenas, militantes do TKP/ML colocaram faixas com os dizeres Ibrahim Kaypakkaya é a proclamação da Revolução e do Comunismo.

Austria

Em Viena, uma faixa com os dizeres Glória ao líder comunista Ibrahim Kaypakkaya no 47º aniversário de sua morte em um bairro operário da cidade.

Já em Innsbruck, uma marcha em celebração ao chefe comunista foi realizada, atingindo um pico de quase 100 pessoas, apesar do coronavírus, onde foi cantada o hino do proletariado, A Internacional.

 Em nome da Partizan, um discurso foi feito apontando a importância de celebrar e proteger o significado histórico e o pensamento de Kaypakkaya.

Em Linz, um ato também foi realizado, com discursos e publicações da declaração do TKP/ML.

Na cidade de Neunkirchen, um evento foi realizado em homenagem ao chefe comunista, além de relembrarem outros heróis e prestarem homenagens a um dos grandes chefes do proletariado, Presidente Mao Tsetung.

Alemanha

Com cerca de 30 pessoas, em Nuremberg, um evento também foi realizado para prestar suas homenagens a Ibrahim Kaypakkaya, onde houve participação do movimento Partizan, que organiza trabalhadores e as massas turcas na Europa, e do movimento maoista alemão.

Suíça

Ações realizadas por membros do TKP/ML aconteceram em três cidades do país. Em Zurique, em sete diferentes regiões, Ibrahim Kaypakkaya foi celebrado com faixas com os dizeres 18 de Maio de 1973... Kaypakkaya vive e luta! com a assinatura do TKP/ML.

O movimento Partizan também comemorou a vida de Ibrahim através de ações em diferentes cidades da Suíça.

Também, marchas e eventos foram realizadas na capital. Na marcha, uma grande faixa com os dizeres Comemorá-lo é lutar! foram erguidas, onde os militantes leram a declaração do TKP/ML, além de usarem palavras de ordem como Viva o nosso partido, TKP/ML!

No mesmo dia, um evento no Centro Cultural e Juvenil de Zurique foi realizado em celebração ao dirigente, além de homenagens a outros heróis tombados na revolução na Turquia.

Na cidade de Basileia, faixas em celebração ao dirigente e ao Partido foram colocadas na cidade.

Além disso, um ato com a presença do Partizan foi realizado, em celebração a Ibrahim e outros heróis da revolução

Já em Bienna, um ato em celebração também foi realizado, onde os revolucionários desfraldaram uma faixa em sua homenagem, além de discursos realizados.

Bélgica

Em Liége, apoiadores do movimento Partizan realizaram um evento em memória a Ibrahim, que terminou com um concerto musical.

Inglaterra

Em Londres, em frente a biblioteca Woodgreen, apoiadores do Partizan levaram uma faixa com os dizeres Ibrahim Kaypakkaya é a consciência em nossa mente, Poder em nossos pulsos, coragem em nossos corações, além de usarem palavras de ordem, como: Nosso líder, Ibrahim Kaypakkaya no ato.

França

Nas cidades de Paris e Estrasburgo foram realizadas ações organizadas pelo Partizan que, mesmo sob a proibição de aglomeração na França, não foram detidas. O movimento Partizan afirmou: "Quaisquer que sejam as condições, nada vai impedir de nos lembrarmos de nosso chefe”.

Apoiadores da Partizan celebram Ibrahim Kaypakkya na França

Na faixa, “É neste exato momento que levantamos uma bandeira vermelha para o céu na frente de todo o mundo”

Finlândia

Pichações realizadas por revolucionários foram feitas em celebração ao dirigente comunista.

“Nunca esqueceremos Ibrahim Kaypakkaya, viva a Guerra Popular do povo Turco”

Suécia

Na cidade de Gotemburgo, revolucionários prestaram homenagem a Ibrahim Kaypakkaya.

‘Camarada Ibrahim vive e continua a lutar’

Uma declaração conjunta, em ocasião do aniversário do tombamento de Ibrahim Kaypakkaya na luta, foi lançada no portal maoista Dem Volke Dienen, com assinantes de diversas organizações europeias.

Nela, os revolucionários afirmam que Kaypakkaya “retratou uma posição clara na luta de classes e no socialismo, na atitude contra o social-imperialismo, na persistência da Guerra Popular, na afinidade com a luta de classes com um compromisso estrito com o Presidente Mao no campo do proletariado internacional”, além de fazerem um retrato histórico do desenvolvimento do marxismo-leninismo-maoismo na Turquia e mundo.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza