USA: Enfurecido, povo incendeia delegacia policial responsável pela morte de George Floyd

A- A A+

Milhares de massas, com ódio da opressão a que são submetidas, invadiram e incendiaram a delegacia policial, no dia 28/05, onde trabalhavam os policiais que participaram da execução de George Floyd, homem negro morto sob tortura de asfixia. Dentre dezenas de estabelecimentos comerciais e prédios públicos, a delegacia foi também tomada pelo incêndio.

Apesar dos protestos altamente massivos e violentos, a imprensa monopolista ianque, e consequentemente suas sucursais em todos os países, estão ocultando os fatos ou filtrando sua difusão. Por exemplo, omitindo detalhes ou fatos concretos que ocorrem nos protestos.

Prédio em chamas nos USA. Foto: Banco de Dados AND

Protestos em todo o país

Centenas de manifestantes saíram às ruas em protesto contra a morte de George Floyd em Los Angeles, Califórnia e em Memphis, Tennessee, no dia 27 de maio. Em Los Angeles, demonstrando a revolta popular e a vontade de combater contra o sistema de opressão e exploração, os manifestantes enfrentaram a polícia, e uma bandeira do USA foi queimada.

Em Los Angeles, o protesto começou durante a tarde na avenida 101 Freeway. Quando uma viatura chegou ao local para reprimir a manifestação, manifestantes a cercaram, quebrando o vidro traseiro do veículo. Pouco depois, uma segunda viatura apareceu, também sendo alvo da ira das massas, e teve o mesmo destino. Por volta do final da tarde, os manifestantes começaram a ir em direção ao centro da cidade.

Já no centro da cidade, uma bandeira ianque fora queimada, sob aplausos e celebrações do povo presente. Também, a placa frontal da sede do Departamento de Polícia de Los Angeles fora pichada, denunciando a polícia genocida ianque.

Durante a noite, um reacionário foi contra a manifestação com o seu carro, atropelando um manifestante e fugindo do local. O protesto durou por diversas horas.

Manifestantes cercam viatura. Fonte: H.W. Chiu

Massas queimam bandeira ianque em revolta ao assassinato de George Floyd. Fonte: FOXLA.

Já em Memphis, no início da noite, manifestantes bloquearam a avenida Union, em frente ao Departamento de Polícia de Memphis. Os manifestantes gritavam palavras de ordem em referência ao assassinato de George Floyd.

Agentes da repressão usaram spray de pimenta, além de prenderem três manifestantes sob acusação de obstrução da avenida.

Crueldade com que George foi assassinado levantou as massas em todo país

George Floyd, homem negro de 46 anos, foi morto asfixiado durante uma abordagem em Minneapolis, estado de Minnesota. O policial que o abordou pressionou o joelho, com todo o peso do seu corpo, sobre o pescoço e garganta do homem, enquanto fazia provocações e posava com sua arrogância, com as mãos no bolso. George chegou a implorar pela vida e afirmar que não conseguia respirar. Nada que tenha comovido o criminoso uniformizado. Toda a abordagem até a morte de George foi filmada, viralizando na internet, e causando profunda revolta nas massas estadunidenses.

Manifestantes tomam as ruas de Memphis, na imagem, cartazes dizem: “Digam o nome dele: George Floyd” e “Sou a próxima?”. Fonte: CNN, Joe Rondone

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira