Moradores de Brumadinho fecham acesso à Mina da Jangada contra Vale

A- A A+

Novo protesto contra a Vale, em Brumadinho. Foto: TV Globo

Moradores de Brumadinho atingidos pelo rompimento da barragem do Córrego do Feijão em janeiro do ano passado, fizeram um protesto, às 5h da manhã do dia 01/06, em Belo Horizonte. Os manifestantes fecharam a entrada da cidade e o acesso à Mina da Jangada, explorada pela Vale. Eles pedem o pagamento dos acordos de indenização firmados no termo compromisso entre o monopólio e a Defensoria Pública. A população reclama que a empresa não cumpre o termo, negando os pedidos de indenização por danos à saúde mental e econômicos. 

Os protestos contra a Vale em Brumadinho já vêm acontecendo desde o dia 14/05, quando moradores se manifestaram contrários à decisão do monopólio de pagar auxílio integral somente para parte da população. O guia turístico Claudimar Oliveira Fonseca, que é morador de Brumadinho, em entrevista ao monopólio de imprensa diz estar revoltado porque só as vítimas e seus advogados "estão vendo que a empresa não cumpre os termos do acordo".  “Por isso continuamos protestando e cobrando”, conclui Claudimar.

Katia Maria da Costa, de 42 anos, moradora do centro de Casa Branca, carregava um cartaz cobrando o pagamento do auxílio para toda a comunidade, e não somente aos nove bairros definidos pela empresa.

“Estamos numa luta contra a Vale, que está fazendo uma covardia com as pessoas. Depois da tragédia, tem muita gente sofrida em toda cidade de Brumadinho. Eu não entendi porque que a Vale está tentando nos enganar dividindo os nossos bairros, pagando o emergencial para algumas pessoas, selecionando bairros, tentando colocar as pessoas umas contra as outras. Acredito que os direitos são iguais. Estamos unidos numa só causa, numa só luta, e não vamos concordar com essa decisão”, disse Kátia.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza