BA: Moradores protestam contra morte de jovem assassinado por policiais

A- A A+

Moradores do bairro Engenho Velho da Federação, em Salvador, protestaram no dia 8 de junho contra a ação policial que matou o jovem Mateus dos Santos Passos, de 22 anos. O protesto iniciou-se por volta de 12h e reuniu cerca de 60 pessoas; os moradores fecharam a avenida Cardeal da Silva com barricadas incendiadas. O protesto foi encerrado as 14h e não houve feridos.

A família de Matheus relata que o jovem saiu com a namorada e amigos para lanchar no dia 8, por volta da 00:30, e na volta para casa policiais passaram atirando. Matheus foi atingido. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital Geral do Estado (HGE), mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O assassinato ocorreu na rua Vila Vale, na localidade conhecida como Forno.

Matheus tinha voltado para Salvador há um mês, após ter ido morar com a mãe em Santa Catarina. Ele estava trabalhando como ajudante de motorista, mais foi demitido por conta da pandemia de coronavírus, fato que o fez voltar para a capital da Bahia.

Moradores fecham via em protesto contra morte de jovem. Foto: Transalvador

Moradores incendeiam ônibus

Ônibus incendiados em protesto de moradores contra o assassinato de dois jovens, em Salvador. Foto: Banco de Dados AND

No dia 3 de junho, outro protesto contra a violência policial, em Salvador, deixou um ônibus incendiado. Os manifestantes revoltados após a polícia assassinar dois jovens no bairro da Paz, incendiaram o veículo e o deixaram na Avenida Luís Viana Filho, conhecida como Paralela, por cerca de 2h, bloqueando todo o tráfego no local.

Os moradores contam que os jovens tiveram suas casas invadidas e que foram levados por policiais militares, dentro da viatura e sem nenhuma alegação para o motivo da prisão, na localidade conhecida como Rua do Z, por volta das 16:30 do dia 2 de junho.

"Não houve confronto nenhum. Eles agiram de forma covarde. Pegaram os meninos e levaram. Eles levaram para o hospital já morto. A população está chateada. Eles chegaram invadido as casas e levaram os dois. Eles levaram os dois na mala. Os policiais não falaram nada, não alegaram nada. Só chegaram e lavaram”, relatou um morador em anonimato.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza