USA: Povos indígenas bloqueiam estrada rumo à comício de Trump e enfrentam a Guarda Nacional

A- A A+

Manifestantes e povos nativos enfrentaram a Guarda Nacional, a polícia militarizada, e os apoiadores reacionários de Donald Trump contra a presença presidente genocida no Monte Rushmore. Foto: Andrew Caballero-Reynolds/AFP via Getty

Cerca de 300 manifestantes, dentre ativistas e povos nativos, bloquearam a estrada que leva ao monumento histórico nacional do Monte Rushmore e enfrentaram a Guarda Nacional horas antes do comício do presidente arquirreacionário ianque Donald Trump no local, no dia 3 de julho.

Diante da tentativa da Guarda Nacional de dispersar o protesto, os manifestantes enfrentaram a repressão e os apoiadores fascistas de Donald Trump; os nativos estavam revoltados com a presença do presidente genocida no território considerado sagrado para o povo Sioux. A Guarda Nacional, por seu turno, começou a atirar balas de borracha e spray de pimenta contra os revoltosos, de acordo com o líder indígena Argus Sioux Falls. 

Durante a manifestação, um grupo de mulheres indígenas cantavam canções tradicionais enquanto crescia a presença policial. Na multidão, manifestantes levavam cartazes com palavras de ordem como: Você está em terra roubada!, Defendemos a terra e a água! e Queremos nossa terra de volta!

À noite, 15 manifestantes que se recusaram a deixar o protesto foram presos.

"As pessoas [apoiadores fascistas de Trump] nos diziam para 'ir para casa' e era lá que estávamos, em nossa terra natal sagrada. Isso mostra como o sistema educacional norte-americano lava a história e ignora a quantidade de injustiça, genocídio e desigualdade em que este país foi construído", disse Laura Ten Fingers (Tribo Oglala Sioux), uma das organizadoras do protesto combativo, ao Native News Online.

"Foi um dia impulsionado por orações e resiliência de nossos antepassados", disse Ten Fingers. "Estávamos lá protegendo nossas terras de supremacistas brancos e da possibilidade de incêndios [nas florestas] e contaminação da água nas Colinas Negras".

Mais tarde, Trump fez um discurso no Monte Rushmore, dizendo que o país estava sitiado por “fascistas” de “extrema-esquerda", que faziam "uma campanha impiedosa para apagar nossa história, difamar nossos heróis, apagar nossos valores e doutrinar nossos filhos".

Apesar de acusar a “extrema-esquerda” de “apagar a sua história”, representada ali pelo Monte Rushmore, onde estão esculpidos os rostos de quatro presidentes estadunidenses, a própria Suprema Corte do país, em 1980, declarou que o USA havia tomado ilegalmente a terra da tribo Sioux em um acordo mediado em 1873. As esculturas do Monte Rushmore foram concluídas em 1941. 

Jeff Ostler, historiador da Universidade do Oregon, disse ao monopólio de imprensa ABC News que o governo federal ianque havia oferecido ao povo Sioux um acordo de 1 bilhão de dólares por ter tomado a terra. A tribo se recusou, dizendo que só aceitaria suas terras de volta. 

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza