Iraque: Comboio militar que transportava suprimentos para base ianque é atacado e incendiado

A- A A+

Na noite do dia 11 de julho, um comboio militar que transportava suprimentos logísticos para uma base das forças da invasão imperialista no Iraque foi atacado na estrada entre Samawah e Diwaniyah, ao sul da capital iraquiana de Bagdá. Vídeos da ação que foram divulgados na internet mostram ao menos três caminhões sendo incendiados, e não houve vítimas relatadas.

Segundo o Sputnik, monopólio de imprensa do imperialismo russo, uma fonte de segurança informou que “quatro caminhões foram atacados na região de Najme, entre Diwaniyah e Samawah”, e que eles transportavam suprimentos de Basra para uma base militar onde estão alocadas tropas da coalizão imperialista liderada pelo imperialismo ianque, que ocupa o país. 

Um grupo de combatentes, segundo a mesma fonte, forçou o comboio a parar, ordenou que os motoristas saíssem dos veículos e, então, atearam fogo aos caminhões. Todos os motoristas do comboio seriam iraquianos, de acordo com os relatos. Supostamente, o grupo Saraya al-Eshreen al-Thaniya, recém-formado no Iraque, assumiu responsabilidade pela ação.

Desde o ataque orquestrado pelo imperialismo ianque que executou o general iraniano Qassem Soleimani, comandante da Força Al Quds (unidade especial da “Guarda Revolucionária” do Irã”), no aeroporto em Bagdá no início do ano, tem se multiplicado exponencialmente o número de grupos que combatem no Iraque contra a invasão e a ocupação imperialistas, principalmente atacando as bases militares que alojam suas tropas.

Dias após a morte de Soleimani, que representou um ataque grave às soberanias iraquiana por parte do imperialismo ianque, o parlamento do país, apesar de não ter nenhum poder efetivo, foi forçado pela reivindicação popular a aprovar por unanimidade a exigência de que todas as tropas estrangeiras se retirassem do Iraque, o que até agora não se cumpriu. Os grupos anti-USA que atuam no país, muitos deles ligados ao Irã, afirmam que vão manter seus ataques até as forças ianques levarem a cabo a ordem parlamentar. 

Vídeos da ação: 

https://twitter.com/Jtruzmah/status/1282026178350510080?s=20

https://twitter.com/HAbdolhossein/status/1282034539813101574?s=20 

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza