Bangladesh: Operários da indústria têxtil realizam protesto combativo exigindo pagamento de seus salários

A- A A+


Trabalhadores  e trabalhadoras da indústria têxtil de juta protestam na avenida Dhaka Chattogram, em Cumilla. Foto: Star

Centenas de trabalhadoras e trabalhadores da indústria têxtil, especificamente de uma fábrica de juta, realizaram um protesto combativo contra a administração da empresa, no dia 28 de julho, na cidade de Cumilla, metrópole de Chittagongue, exigindo o pagamento de seus salário.

Em sua maioria mulheres, as operárias e operários da fábrica de têxtil Asha se reuniram exigindo o pagamento pendente de seus salários e em denúncia aos administradores da empresa. Queimando pneus e levantando cartazes, os trabalhadores protestaram na Avenida Dhaka-Chattogram.

As operárias denunciavam que a falta de pagamento dos salários e a falta empregos alternativos, somado com o descaso do velho Estado em apoiar os trabalhadores e trabalhadoras, os força a entrar em uma armadilha de dívidas, com a pandemia aprofundando ainda mais a miséria e carestia do povo.

Segundo o jornal do monopólio Newsclick, os operários denunciaram que sempre quando os trabalhadores têxteis se unem e exigem seus direitos, as autoridades do velho Estado “sugerem” que eles voltem a trabalhar e não oferecem compromisso sério e de longo prazo para com os operários. “Nós só temos garantias quanto às medidas temporárias; a crise salarial dos trabalhadores permanece a mesma, que continua recorrente de tempos em tempos”, disse um dos trabalhadores ao portal.

A indústria de juta de Bagladesh, grande parte sendo estatais a serviço do imperialismo, gera cerca de 1 bilhão de dólares anualmente. No entanto, dentro da crise geral do imperialismo, diversas fábricas estão sendo fechadas, com cerca de 25 mil operários demitidos e jogados à miséria no país.

Dentro desse contexto, em maio deste ano, cerca de 80 mil trabalhadores de 27 fábricas de juta da Bangladesh Jute Mills Corporation entraram em greve contra os grandes burgueses da empresa, exigindo seus salários. O velho Estado, por sua vez, responde com perseguição, com líderes de sindicato sendo presos e interrogados por organizarem protestos, como ocorrido no distrito de Khulna, com os líderes Oliar Rehman e Nur Islam.

Vídeo dos trabalhadores no protesto do dia 28:

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza