Ato político celebra 25 anos da Heroica Resistência dos Camponeses de Corumbiara

A- A A+

Reproduzimos abaixo matéria do portal Resistência Camponesa sobre ato político realizado em Corumbiara, Rondônia em celebração dos 25 anos da Heroica Resistência dos Camponeses.


No último dia 9 de agosto, um vigoroso ato político reuniu camponeses e ativistas em Corumbiara para celebrar os 25 anos da Heroica Resistência Camponesa, marco histórico da luta pela terra no país ocorrida na antiga fazenda Santa Elina, localizada no interior do município. 

Cerca de 20 ativistas de várias partes de Rondônia concentraram-se na praça central da cidade, para exaltar a batalha histórica. Representantes da Associação Brasileira de Advogados do Povo (Abrapo), Diretório Central dos Estudantes (DCE), Executiva Nacional dos Estudantes de Pedagogia (Exnepe), bem como camponeses de várias áreas revolucionárias, fizeram intervenções honrando os camponeses que verteram seu generoso sangue na luta por um pedaço de terra para viverem com dignidade. Foi lembrado que até hoje não foi feita justiça, pois que as vítimas não foram sequer indenizadas e os assassinos e torturadores seguem impunes, alguns destes tendo sido até promovidos. 

Também foram destacados os 10 anos da retomada vitoriosa de parte da fazenda Santa Elina pelos camponeses e a necessidade de seguir o caminho apontado pela Heroica Resistência de que só com luta organizada e combativa pode-se conquistar a terra, luta ainda mais urgente neste momento de crise econômica, sanitária, política e moral sem precedentes. Foi relembrado ainda o massacre do povo Tanaru, ocorrido também em Corumbiara no mesmo ano de 1995, que deixou apenas um sobrevivente; o mandante deste crime hediondo foi o latifundiário Antenor Duarte, carrasco das famílias de Santa Elina.

Foi exaltada ainda a unidade entre camponeses e povos indígenas, irmãos de classe na luta pela terra contra o mesmo inimigo, o latifúndio.


Ato celebra os 25 anos da heroica Resistência Camponesa de Corumbiara. Foto: Resistência Camponesa

Ato celebra os 25 anos da Heroica ResistÊncia Camponesa de Corumbiara

Um panfleto assinado pela Liga dos Camponeses Pobres de Rondônia e Amazônia Ocidental (LCP) e o Comitê de Defesa das Vítimas de Santa Elina (Codevise), e distribuído durante o ato, declarava: “O heroísmo dos camponeses de Santa Elina deve ser sempre celebrado, ainda mais em um momento tão difícil como o de agora, quando o Brasil e o mundo atravessam a terrível pandemia do coronavírus. São tempos difíceis onde há quase três meses morrem em média mil brasileiros por dia; onde a fome, o desemprego e a carestia assombra os lares do povo trabalhador, dos pequenos e médios comerciantes”. 

O texto afirmava ainda: “Por isso, mais do que nunca, precisamos celebrar a Resistência de Corumbiara, porque aquela batalha nos serve de exemplo de que nada é impossível quando as massas decididas se organizam em luta. Se os camponeses resistiram àquela tentativa de massacre, se tiveram força para prosseguir na luta, se tiveram organização para retomar e cortar as terras de antiga fazenda Santa Elina, isso nos mostra que também poderemos nos defender dessa pandemia e resistir à crise econômica que já atinge o campo e as cidades de nosso país! Contra a crise, tomar todas as terras do latifúndio!”.


Panfletagens nas ruas de Corumbiara. Foto: Portal Resistência Camponesa

Os manifestantes entoaram o hino Conquistar a Terra, proclamaram palavras de ordem, estenderam uma faixa celebrativa, agitaram bandeiras vermelhas e ergueram estandartes com fotos de heróis de Corumbiara e da Revolução Agrária. O ato encerrou com o grito de guerra das populações indígenas: “Pisa ligeiro, pisa ligeiro, quem não pode com formiga, não assanha o formigueiro!”, representando a disposição dos camponeses de continuarem seguindo o caminho da Nova Democracia, iniciado com a Revolução Agrária.

Salvas de foguetes marcaram o início da panfletagem pelas ruas de Corumbiara. Os manifestantes foram muito bem recebidos pela população e comerciantes. Todos ficaram impactados com o respeito que os moradores têm pela batalha histórica. Também foi perceptível o sentimento de revolta pela justiça que até hoje não foi feita.

As delegações seguiram em comboio para a Área Revolucionária Zé Bentão, onde até 2010 era parte da antiga fazenda Santa Elina. Lá os manifestantes foram recebidos calorosamente pela equipe que preparava um farto almoço e puderam ver e desfrutar, mesmo que um pouco, do sonho das famílias de 1995.

Durante todo evento foram tomadas todas medidas sanitárias de prevenção à Covid-19. Não por causa de decretos governamentais – que são apenas medidas de fachada, pois liberam shoppings e frigoríficos para funcionar normalmente – os manifestantes se preveniram porque o povo deve cuidar de tudo o que lhe diz respeito.

Importante destacar ainda que o ato só ocorreu porque contou com apoio de centenas de camponeses, pequenos comerciantes, entidades e pessoas democráticas de norte a sul de Rondônia. Foram arrecadados alimentos, materiais de propaganda e para prevenção da Covid-19, além de recurso financeiro.

Faixas foram estendidas e homenagens foram feitas também em outras cidades de Rondônia.


Parte de material arrecadado com comerciantes e apoiadores. Foto: Portal Resistência Camponesa


Panfletagens nas ruas de Corumbiara. Foto: Portal Resistência Camponesa


Panfletagens nas ruas de Corumbiara. Foto: Portal Resistência Camponesa


Manifestantes tomam cuidados para se prevenirem contra Covid-19. Foto: Portal Resistência Camponesa

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza