Denúncia: Sede do jornal A Nova Democracia é alvo de sabotagem

A- A A+

No dia 13 de agosto, o prédio no qual funciona a redação do jornal A Nova Democracia foi alvo de uma sabotagem física contra o sistema de internet. Um elemento, apresentando-se como técnico de uma operadora de internet, ingressou no prédio com a justificativa de que ia “verificar possibilidade de instalação da operadora” no local, dirigiu-se a uma central de distribuição do prédio no andar abaixo à sede e cortou, com alicate, todos os cabos de alimentação de internet e telefone. Nada foi levado, nada foi instalado. Outros técnicos que atenderam a sede após o fato, a fim de restabelecer a conexão, confirmaram se tratar de uma inconfundível ação de sabotagem. A própria empresa de telefonia informou que nenhum funcionário atende sem ordem de serviço, evidenciando ter sido o “técnico”, na verdade, um elemento infiltrado. Meses antes, um outro elemento fora identificado realizando campana em torno da sede do jornal, por duas semanas, todos os dias e no mesmo horário, em meio à pandemia, verificando a rotina, horário de saída e fechamento do prédio.

Trata-se de uma ação de sabotagem que, embora para os míopes possa parecer singela, é muito grave e é, por sua natureza, uma operação de guerra psicológica. Querem, os reacionários e os fascistas, calar a tribuna popular e democrática que tem sido o AND sem, todavia, dar nas caras, sem escancarar seu feito, sem fornecer amplos elementos de sua ação por receio de ampliar o apoio à imprensa popular e democrática. Seus mentores indicam com isto que estão de olho e que podem, amanhã, se aventurar em algo de maior monta. Que tentem!

Querem fustigar essa tribuna que tem, diuturnamente, denunciado e batido nesse governo de generais, de carrascos do povo e de sujeitinhos nazistas, tal como denunciado os crimes de todo o velho Estado. A escória da sociedade, desde o esgoto e encorajados por estes tempos em que dirige o país uma espécie de junta militar, se põe em ira contra os democratas consequentes e revolucionários que têm como porta-voz este jornal, e tramam seus planos asquerosos. Pois bem, senhores! Sua baba hidrofóbica, seu ódio ensandecido ao povo em luta e aos seus melhores representantes não causa mais do que mais decisão para seguir nesta trincheira da luta de classes.

Não é surpresa que, neste momento, os reacionários e os “poderosos” elejam AND como alvo. Em todas as capas recentes deste veículo, abundam denúncias do escandaloso genocídio do governo contra o povo, seja através de meios militares com suas operações policiais odiosas nas favelas e no campo, seja através da negligência em meio à Covid-19, que já matou mais de 100 mil brasileiros e despedaçou suas famílias, indignadas e presas à sensação de impotência, reféns de um velho Estado dirigido por algo semelhante a psicopatas. Enquanto morrem milhares e mesmo milhões por sua negligência, seja sanitária  seja econômica, os carniceiros dos governos dão de ombros, enquanto dão milhões de reais para Organizações Sociais da Saúde, roubam verba de hospitais, de respiradores e toda a mutretagem já conhecida.

Desde esta tribuna, denunciamos sempre a rapina de nossas riquezas naturais pelo imperialismo, a exploração dos trabalhadores pelas corporações bilionárias do país e do estrangeiro – que pagam salário de fome e o lucro sequer fica no país –, a matança nas favelas, o latifúndio e sua guerra insana contra os camponeses e indígenas, o saque da economia nacional pelo capital financeiro etc. Se o povo sofre, se ele padece com a falta de serviços básicos, com o encarecimento da cesta básica, falta de moradia, com o baixo salário e os problemas familiares surgidos de uma vida sempre no limite, tudo tem relação com a dominação das classes de grandes burgueses e latifundiários e do imperialismo, e a libertação do povo virá com o arrasamento dessas classes. São interesses inconciliáveis, a benesse de uns vem da miséria de outros. A Revolução de Nova Democracia, ininterrupta ao Socialismo, que eliminará todas as desgraças que pesam sobre as massas populares, queiram ou não os inimigos do povo, se imporá e varrerá de nossa pátria toda a podridão, o obscurantismo, reacionarismo e o sofrimento das massas populares. As massas mesmas se encarregarão de fazê-lo. Nada e nem ninguém poderá detê-las.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza