AL: Moradores protestam contra mineradora e cobram indenização

A- A A+

Moradores protestam contra a mineradora Braskem, em Maceió. Foto: Cortesia

No dia 28 de agosto, moradores do bairro Bebedouro, em Maceió, estado de Alagoas, realizaram uma manifestação no portão principal da fábrica da Braskem, na avenida Assis Chateaubriand, no pontal da barra, também em Maceió. A região é afetada pela instabilidade do solo por consequência da extração de sal-gema.

Os manifestantes cobravam rapidez nas indenizações e exigiram a avaliação e a definição da data de pagamento combinada no momento das desocupações dos imóveis atingidos pelo desastre geológico provocado pela mineradora que fez surgir rachaduras nas casas e no solo durante os anos de 2018 e 2019. Mesmo após um ano do desastre, a mineradora ainda não pagou as indenizações.

Os manifestantes se concentraram às 7h na praça Lucena Maranhão, e seguiram de carro e ônibus em carreata até a porta da fábrica, na praia de Sobral, onde o ato foi realizado. Durante a manifestação, moradores vitimas da Braskem externaram revolta e cobraram seus direitos numa só voz, exigindo respeito e agilidade do processo que vem afetando a saúde da população. O protesto foi encerrado por volta das 10h30.

Para participar do protesto, todos os moradores foram orientados a estar de máscara, usar álcool em gel e manter um distanciamento mínimo, medidas importantes para se proteger contra o novo coronavírus.

Seu Expedito, morador do bairro há mais de 40 anos, se emocionou ao acusar a mineradora pelo seu estado de saúde  “Eu estou nessa situação por causa deles, desde o dia em que as máquinas deles funcionaram lá durante um estudo, o chão e as paredes da minha casa tremeram, por isso fiquei assim doente”, disse o homem chorando.

Outro morador do bairro, Marcos Braga, desabafou que cobra apenas que se faça justiça. “Nós queremos sair das nossas casas sabendo quanto e quando vamos receber. Essa é a maior reivindicação, não só nossa, mas de moradores das áreas atingidas, porque a nossa manifestação é em comum a todos os afetados. A gente foi obrigado a sair da nossa casa por causa desse desastre causado pela Braskem. Eles nem sequer sabem o valor do nosso imóvel e a gente não faz ideia de quando vai receber a indenização" e continuou "estamos aqui para exigir que as indenizações sejam mais rápidas. Tem gente no Pinheiro que saiu de sua casa há mais de um ano e até hoje não recebeu indenização", finalizou o morador.

Mesmo correndo riscos muitos moradores ainda continuam morando em Bebedouro pois o valor que a mineradora quer pagar não dá para pagar aluguel, como relatou em entrevista ao monopólio de imprensa G1 a moradora Marluce Lamenha. Segundo ela, o valor oferecido pela Braskem para o aluguel de um imóvel é muito baixo, por isso, decidiu permanecer em sua casa, mesmo correndo risco. "O valor que eles oferecem não encontro nenhum imóvel, enquanto isso, continuo morando na área de risco", desabafou.

Este é o segundo protesto que moradores fazem na porta da empresa em menos de dois meses, o primeiro ato foi no dia 10 de julho.

 

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza