RJ: Policial atira em motorista de van após discussão

A- A A+

Uma policial militar atirou em um motorista de Van após uma discussão sobre ponto de parada. O crime aconteceu, no dia 8 de setembro, por volta da 18h40, na avenida Itaoca, em Bonsucesso, próximo ao Complexo do Alemão, na zona norte do Rio.

A PM Gabriela Dias da Cruz, lotada na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Fazendinha, atirou no motorista Juadson Luz Almeida de 32 anos, após a PM pedir para descer fora do ponto e o motorista dizer que não poderia parar.

"Ela pediu para saltar fora do ponto, não especificou em qual ponto ela ia saltar. Eu não posso sair parando em qualquer lugar, da forma que ela quiser. Têm locais próprios para poder parar. Eu desembarquei do carro com ela me xingando, dizendo que eu meti a mão na arma e a ameacei. E ela atirou" disse o motorista.

Pessoas que presenciaram o fato afirmaram que ao descer do veículo a policial já estava xingando o motorista para uma briga.

"Ela estava completamente descontrolada. Ela começou a insultar, a xingar, começou uma discussão. Ela não parava de xingar e nisso, quando estava perto do trajeto, na hora dela descer, ela o chamou: 'desce aí, desce para você ver'. Chamando ele para a mão", disse uma uma testemunha que não quis se identificar.

O motorista foi atingido no botão da calça e depois na virilha, fato que segundo os médicos, salvou sua vida, ele foi levado ao Hospital Getúlio Vargas e depois liberado no final da noite.

Após sair do hospital o homem foi até a 21ª DP (Bonsucesso). Segundo a família Juadson chegou a delegacia ainda sangrando e com dor e a irmã do rapaz, ainda denunciou a conduta dos policiais civis da delegacia "eles pediram para o meu irmão levantar e ir até uma cadeira. Eu tentei ajudar. Ele deixou e depois disse: 'Quer saber? Volta para lá. Você está sujando a delegacia toda'. E quando ele chegou perto do meu irmão falou: 'Cuidado para ele não tomar a minha arma também'. E nisso eu via a menina que fez o disparo sendo super bem atendida lá dentro", disse revoltada a irmã de Juadson.

A violência policial somente cresceu durante a pandemia. No estado do Rio de Janeiro entre os meses de março e junho, a Polícia Militar, assassinou cinco pessoas por dia, o maior indíce em 22 anos. Em São Paulo, entre janeiro e maio, cresceu em 23% as mortes cometidas por policiais em comparação ao mesmo período de 2019, com isso em São Paulo uma pessoa foi assassinada pela polícia a cada seis horas desde o começo da pandemia.

Motorista foi baleado por PM após discussão na zona norte do Rio. Foto: Reprodução Redes Sociais

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Victor Costa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza